Palacete Arantes / Quinta de Infias / Pousada de São Vicente

IPA.00011130
Portugal, Braga, Braga, Braga (São Vicente)
 
Palacete de planta em L invertido, com torreão, ao qual foram adossados dois corpos recentes, com vista à sua adaptação a albergaria. Construído ao gosto de "Casa de Brasileiro" apresenta a fachada principal e lateral N., com registo térreo revestido a pedra fendida ao gosto neoclássico. As fachadas são rasgadas por janelas triplas, com molduras destacadas superiormente e unidas por friso, de inspiração neogótica. Interior com pavimento em parquet de madeira com motivos geometrizantes e tectos ornamentados com estuques, alguns pintados com paisagens e motivos fitomórficos. Vestíbulo de acesso principal com pinturas em trompe l'oeil de paisagens brasileiras com molduras de concheados neorococós. Escadaria principal em madeira, com guarda em balaustrada e arranque com estatueta-lampião. Possui capela interior com galeria superior e oratório neorococó em talha em branco, pontuado a dourado. O palacete foi adaptado a unidade hoteleira, fazendo parte das Pousadas de Portugal, inserido na categoria de Pousada de Charme.
Número IPA Antigo: PT010303490131
 
Registo visualizado 933 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial unifamiliar  Casa  Palacete  

Descrição

Planta composta por corpo principal em L invertido, correspondendo ao primitivo palacete, com torreão quadrangular integrado na fachada posterior, a que se adossam dois corpos recentes, um rectangular, subterrâneo, junto à fachada lateral S. outro irregular, junto ao ângulo desta fachada com a posterior. Volumes articulados e escalonados, de dominante horizontal, quebrada pelo verticalismo do torreão. Coberturas diferenciadas em telhados de duas e quatro águas, com água-furtada, virada à fachada principal, em coruchéu no torreão e em terraço nos corpos recentes. Fachadas do corpo principal de dois registos, separados por friso, rebocadas e pintadas de azul, possuindo a principal e lateral N., o primeiro registo revestido a cantaria de granito, em pedra fendida. Remates em cornija sob platibanda em calcário. Fachadas dos corpos recentes, de um e dois registos, rebocadas e pintadas de azul, ritmadas por vãos de verga recta, correspondendo a janelas e portas envidraçadas. Fachada principal voltada a O., definida por três panos, o central ligeiramente avançado, rasgados por vãos em arco abatido, moldurados a calcário, possuindo no primeiro registo do pano central, portal ladeado por duas janelas gradeadas e no segundo, duas janelas triplas, a central de sacada com guarda vazada em em calcário. Pano lateral N., com par de janelas gradeadas no primeiro registo, encimadas por par de janelas de sacada à face, com guarda de ferro. Pano oposto, com par de portas encimadas por janelas de sacada iguais às do outro pano. As molduras das janelas do registo superior são destacadas superiormente e unidas por friso, que se prolonga para a fachada lateral N., do mesmo modo. Fachada lateral N., correspondendo ao braço do L, possuindo no primeiro registo janelas gradeadas em arco abatido, e no ângulo corpo da escadaria de dois lanços rectos, opostos, com patamar intermédio, e terraço superiormente, com guarda vazada em calcário, decorada por motivos geométricos, com arranque constituído por pilar encimado por estatueta-lampião de antimónio. Segundo registo com três portas em arco abatido, voltadas ao terraço da escadaria, e no topo N. do braço tripla janela também em arco abatido, com guarda vazada de calcário, sobre quatro mísulas de granito. Fachada lateral S. rasgada por janelas de verga recta, com brincos, com pano destacado, formado terraço superiormente, com guarda de ferro. Fachada posterior a E. , ladeada por patamar com guarda de ferro de acesso ao primeiro piso do torreão. É rasgada por janelas de verga recta com brincos e marcada ao centro pelo torreão de três registos, possuindo no primeiro porta em arco abatido, virada ao patamar e no outro pano janela de verga recta. Segundo registo com janelas de verga recta, em cada um dos panos e último registo com janelas de sacada, que contorna o torreão, com guarda de ferro. INTERIOR do corpo principal percorrida por lambris de madeira e paredes rebocadas e pintadas de branco, rasgadas por portas com bandeiras de vidros pintados. Pavimentos em parquet de madeira com motivos geometrizantes e tectos ornamentados com estuques. Primeiro piso, com pequeno vestíbulo *1, onde se faria o acesso principal, com pinturas em trompe-l'oeui de paisagens do Brasil, inscritas em cartelas molduradas com concheados. que se liga ao grande vestíbulo da escadaria em madeira, com guarda em balaustrada e arranque com pilarete encimado por estatueta-lampião de antimónio. Este vestíbulo dá acesso ao bar, à escadaria de serviço, aos elevadores, a corredore que comunica com quartos, a N., e a outro corredor que comunica com a capela, sacristia, escadaria de acesso à sala de jantar e aos corpos recentes. Capela ocupando os dois pisos, na junção dos quais desenvolve galeria, com balaustrada de madeira. Acesso no primeiro piso, por três portas, sendo duas para o exterior, e no segundo, por porta rectangular. As paredes são rebocadas e pintadas com motivos fitomórficos e religiosos, com lambril de madeira. A porta principal, voltada ao jardim, é ladeada por pia gomada. Possui tecto estucado e pintado com cena da Ascensão da Virgem ao centro e moldura integrando anjos e motivos alusivos à Eucaristia. Pavimento em madeira. Possui oratório de talha em branco, com decoração pontuada a dourado, que só possui o sotobanco e o altar. É decorado por motivos fitomórficos, querubins e concheado. Sobre a banqueta desenvolve-se sacrário encimado por templete *2. Altar em forma de urna. Lateralmente desenvolvem-se dois confessionários. Segundo piso, organizado em salas de estar, sala de jantar, com tecto decorado por caixotões, quartos e casas de banho. Neste piso encontra-se vestíbulo com os tecto estucado, pintado com motivos fitomórficos e florais. No corpo recente, destacam-se, no piso zero, salões, salas, corredores, cozinha, copas, dispensas e casa de máquinas, e nos primeiro e segundo pisos, suites *3.

Acessos

Lugar de Infias, EN 101

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, isolado, a NO. de uma rotunda, confluência de várias ruas da cidade e saída N. para Vila Verde, Ponte de Lima e Valença. No centro da rotunda, espaço relvado e ajardinado com o Cruzeiro do Senhor das Ânsias (v. PT010303490084). Fronteira, a O., implanta-se a Casa de Vale Flor ou de Infias (v. PT010303490030). A N. encontra-se o imponente edifício do antigo Colégio da Congregação do Espirito Santo, actual Liceu Sá de Miranda (v. PT010303490229). A casa é envolvida por jardim murado com gradeamento e portões de ferro forjado, entre colunas de secção quadrangular, em pedra fendida. O jardim possui lago e ponte com guarda a emitar troncos de madeira, com alguns exemplares de árvores exóticas, centenárias, nomeadamente um raro jacarandá, várias araucárias, duas sequóias, um pinheiro do Brasil, uma rubinia, um diospireiro e uma dezena de camélias. Junto à fachada posterior possui espaços relvados, com piscina e dois parques de estacionamento para automóveis.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa

Utilização Actual

Comercial e turística: pousada

Propriedade

Privada: pessoa colectiva

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTO: Noé Diniz (2000).

Cronologia

Séc. 19, finais - Edificação do palacete para residência do capitalista brasileiro Adelino Arantes; séc. 20, década de 40 - o palacete é comprado por António Marinho, proprietário e fundador da Viação Automotora; 1987 - os descendentes de António Marinho deixam de habitar o palacete; 2000, Agosto - após um período de abandono e de sofrer obras de recuperação e ampliação feitas pelo Arquitecto Noé Diniz, foi inaugurada como albergaria de quatro estrelas, designada Albergaria Quinta de Infias; 2007 - a albergaria é transformada em pousada de charme, com 24 quartos e 2 suites, designada Pousada de São Vicente e passa a fazer parte das Pousadas de Portugal do Grupo Pestana; Abril - a Pousada de São Vicente abre ao público.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Estrutura, revestimento do registo térreo da fachada principal e lateral N. e escadas exteriores em granito; molduras de janelas, platibanda, guardas das sacadas e escadaria exterior em calcário; pia de água benta em mármore; tectos estucados; pavimentos em mosaico e tijoleira; casas de banho com azulejos; portas, janelas, lambris, parquets em madeira, escadaria interior e respectiva guarda, balaustrada da tribuna da capela e oratório em pinho de Riga; grades das janelas, guardas das sacadas e terraços em ferro; estatuetas das escadarias em antimónio; cobertura exterior em telha marselha.

Bibliografia

PASSOS, José Manuel da Silva, O Bilhete Postal Ilustrado e a História Urbana de Braga, Lisboa, 1996, pp. 128 - 129; COSTA, Luis, Braga Roteiro Histórico e Monumental Extra-Muros, Braga, 1998, p. 43; Palacete reabre como Pousada de Portugal, im Jornal de Notícias, 8 Janeiro 2007.

Documentação Gráfica

DGEMN: DSID

Documentação Fotográfica

DGEMN: DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Quinta de Infias Hotelaria S.A.: 1998 / 2000 - obras de recuperação, restauro, remodelação e ampliação do edifício.

Observações

*1 - A adaptação do edifício a albergaria transferiu a entrada principal para a fachada lateral S., obrigando à criação de um novo vestíbulo; *2 - o templete do sacrário esteve patente na Exposição Universal de Paris, em 1900, onde foi comprado para a casa; *3 - o mobiliário usado neste corpo foi idealizado pelo arquitecto.

Autor e Data

António Dinis 2000

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login