Igreja do Senhor do Bonfim

IPA.00001623
Portugal, Portalegre, Portalegre, União das freguesias da Sé e São Lourenço
 
Arquitectura religiosa, barroca e rococó. Igreja de planta em cruz latina com falso transepto totalmente abobadada com fachada flanqueada por 2 torres sineiras. O conjunto formado pela porta e janela da entrada decorado por cabeças de anjo, volutas e piláculos e as duas torres sineiras coroadas por pirâmides hexagonais são característicos do barroco; azulejos barrocos azuis e brancos do lambril com figuração enquadrada por elementos vegetalistas anjos e arquitecturas fantásticas. Recurso frequente a elementos decorativos do rococó como as formas contracurvas e os concheados na zona superior das paredes da nave, ilhargas do arco triunfal, paredes e cobertura da capela-mor. A qualidade estética do seu interior onde se conjugam a talha, pintura e azulejaria. O programa decorativo é muito semelhante ao da Capela de Santana (v. PT041214090033).
Número IPA Antigo: PT041214080012
 
Registo visualizado 633 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja de Confraria / Irmandade  

Descrição

Planta longitudinal, em cruz latina, composta por coro, nave única, capela-mor, sacristia sala de reuniões e corredor. Volumes articulados dispostos horizontalmente; cobertura exterior com telhado de duas águas na nave e quatro águas nos corpos laterais. Fachada principal orientada a E. tem embasamento pintado de amarelo três panos separados por pilastras de pedra granítica aparelhada. O pano central apresenta dois registos divididos por uma cornija que corre toda a fachada, o registo térreo tem pórtico de granito com uma pilastra de cada lado que suportam arquitrave lisa e frontão entreaberto constituído por duas volutas sobrepujadas por pináculos, zona central decorada com medalhão circular com flor, volutas e cruz, remate com cornija onde assenta o janelão gradeado com moldura granítica de verga contracurvada encimada por motivo vegetalista; o registo superior tem forma de frontão contracurvado, óculo central decorado a estuque e pintado de amarelo, uma voluta da mesma cor de cada lado, no arranque do frontão, e cruz no remate. Os panos laterais delimitados por pedra granítica aparelhada são idênticos entre si, correspondem às torres, têm dois registos divididos por cornija, o registo térreo apresenta uma fresta com moldura de granito e no superior vê-se sineira com arco pétreo; remate com cornija e pirâmide hexagonal ao centro. Fachada lateral direita a N. apresenta dois panos divididos por pilastra de pedra aparelhada; o da esquerda bastante mais reduzido tem dois registos, o inferior com fresta emoldurada a granito e o superior com fresta idêntica, sineira com arco de volta perfeita em pedra e remate com cornija e pirâmide hexagonal. O pano da direita apresenta à esquerda porta entaipada e janela gradeada com moldura de granito ao centro; a este registo cola-se um corpo com dois registos que se eleva ao nível do piso térreo, no pano da direita abre-se uma janela com moldura de granito e no da esquerda duas com moldura pintada de amarelo. Fachada lateral esquerda a S. apresenta embasamento pintado de amarelo e dois panos divididos por pilastra de pedra aparelhada; o da direita tem dois registos, o inferior com fresta emoldurada a granito e o superior com fresta idêntica, sineira com arco de volta perfeita em pedra e remate com cornija e pirâmide hexagonal; no pano da esquerda, ao centro, abre-se a janela com moldura pétrea e porta com mesmo tipo de moldura junto ao pano da direita, sobrepujada por placa de mármore com inscrição. Fachada posterior está voltada a O. apresenta embasamento pintado e três panos separados por pilastras de pedra aparelhada; o pano central tem três pisos, uma janela quadrada com moldura de pedra no piso térreo e outra no primeiro piso, inscrição no piso superior e remate com cornija, beirado do telhado e empena triangular; os panos laterais são idênticos entre si, com dois pisos e emolduramento dos vãos de granito, o pano da direita tem uma janela no primeiro piso e porta no r/c, o pano da esquerda tem uma janela em cada piso, ambos com remate com cornija e beiral com telhado. INTERIOR: Espaço diferenciado. Coro-alto assente sobre arco abatido que descarrega em duas pilastras de pedra, janelão central e óculo, parede fundeira pintada com um florão e uma moldura de cada lado, porta de acesso de ambos os lados, balaustrada de madeira; pavimento de tijoleira. Sub-coro de planta rectangular. Parede fundeira com uma janela de cada lado revestida de azulejos azuis e brancos figurados onde se pode ver a figura de um Santo de cada lado enquadrada com elementos arquitectónicos. Parede da Epístola tem porta para a torre com degrau e moldura de granito rematada dos lados por friso de azulejos azuis e brancos e sobrepujada com sanca dourada e parede com vestígios de pintura. Parede do Evangelho idêntico ao do lado oposto. Cobertura abobadada pintada com motivos vegetalistas, enrolamentos e flores a verde, beije, vermelho e azul com medalhão central com inscrição enquadrado por volutas. Nave de planta rectangular sobreelevada junto à capela-mor e com grade de ferro forjado que se abre ao centro. Parede da Epístola com lambril de azulejos barrocos, figurados, azuis e brancos distribuídos por painéis entre os vãos do pano, representam figuras e cenas bíblicas enquadradas por elementos arquitectónicos, anjos, motivos vegetalistas, concheados e festões de flores; entre os primeiros painéis abre-se porta de madeira envidraçada que dá acesso a pequena capela com altar de promessas em talha policroma, paredes e cobertura revestidos com azulejos que fazem parte conjunto referido. Sobre o lambril três telas com moldura de talha dourada, todas representando cenas da Vida de Cristo, uma de menores dimensões sobrepujada por vão da galeria do segundo piso com guarda de madeira, seguem-se outras duas telas intercaladas por púlpito de talha com sanefa sobre qual se abre outro vão da galeria, o conjunto apresenta-se unificado por elementos vegetalistas, florais e concheado de talha dourada que se distribuem pelas molduras, púlpito, sanefas e parede; no final do pano junto à ilharga abre-se arco de volta perfeita ocupado por retábulo de talha dourada de planta reentrante, trono central e nichos laterais com imagens, dois atlantes de cada lado sustentando o entablamento e remate com arquivoltas, sobre o arco sanefa com motivos vegetalistas e concheados. Parede do Evangelho organizado e decorado de forma semelhante ao do lado oposto, lambril de azulejos interrompido por porta de madeira envidraçada que fecha vão de acesso ao exterior, em vez da pequena capela lateral; sobre o lambril três telas representando cenas da Vida de Cristo; no final do pano, arco e retábulo de talha idênticos ao do lado oposto com trono e nichos laterais com imagens. Cobertura da nave com abóbada de volta perfeita em alvenaria pintada com enrolamentos vegetalistas em tons de azul, jarrões de flores aos cantos e ao centro representação da Transfiguração; pavimento de tijoleira e pedra. Arco triunfal de volta perfeita pintado com marmoreados e decorado com talha dourada na zona superior, um anjo músico de cada lado e a Santíssima Trindade em Glória no fecho; as ilhargas são preenchidas por quatro telas com molduras de talha, duas de cada lado. Capela-mor rectangular sobreelevada; na parede da Epístola abre-se porta para a sala de reuniões com moldura pintada a imitar mármore; na zona superior vê-se tela representando a Crucificação com moldura dourada envolvida por motivos vegetalistas, flores e concheados; de cada lado da tela um medalhão com busto masculino acompanhado, em cima e em baixo, do mesmo tipo de motivos; parede do Evangelho idêntico ao do lado oposto com porta de acesso para sacristia e tela representando o Descimento da Cruz; retábulo-mor de talha policroma de planta reentrante, camarim central com imagem de Cristo Flagelado duas colunas salomónicas suportadas por atlantes sustentam entablamento com frontão circular; cobertura com abóbada de volta perfeita decorada a estuque pintado de dourado com motivos vegetalistas e concheados e símbolos da Paixão de Cristo ao centro; pavimento com tijoleira e mármore. Sacristia com planta rectangular; pano S. com arcaz, retábulo policromo com planta reentrante encaixado na parede, pano E. com dois armários de parede, pano N. com porta para capela-mor e porta para casa de banho; pano O. com janela para exterior; cobertura com abóbada de volta perfeita de alvenaria; pavimento com ladrilho cerâmico. Sala de reuniões com planta rectangular, parede S. com porta para capela-mor e vão com escadas de acesso ao retábulo, parede O. e pano N. com uma janela para exterior, parede E. com armário e porta para corredor; cobertura com abóbada de volta perfeita de alvenaria; pavimento com ladrilho cerâmico.

Acessos

À saída de Portalegre, na EN. 246 que segue para Castelo de Vide e Marvão, na Avenida do Bonfim. WGS84 (graus decimais) lat.: 39,304512; long.: -7,434057

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 251/70, DG, 1.ª série, n.º 129 de 03 junho 1970

Enquadramento

Peri-urbano, voltada para E. N., só parcialmente adossada a uma casa particular do lado direito, tem largo que serve de estacionamento automóvel do lado direito, acesso particular à esquerda e quintal atrás.

Descrição Complementar

AZULEJOS: As paredes do sub-coro e da nave da igreja são revestidas até cerca de um terço com azulejos figurados azuis e brancos onde se representam figuras ou episódios bíblicos da Vida de Cristo, todos identificados, do lado da Epístola, respectivamente do sub-coro para a nave, podemos ver: Nicodemos, Daniel, Abraão, David, Entrada em Jerusalém, Expulsão dos vendilhões do templo; do lado do Evangelho, respectivamente do sub-coro para a nave, podemos encontrar: Jeremias, Isaias, Nicodemos, Zacarias, Última Ceia, Lava-Pés. EPIGRAFIA: na fachada lateral esquerda existe placa com inscrição onde se lê:"D. Álvaro de Castro Noronha Bpº de Portalegre lançou a pra pedra nesta igª do Sor do Bonfim dia de S. Thomé na era de 1721". Na cobertura do coro-baixo inscrição pintada onde se lê:"EGO SUM/ALPHA ET/OMEGA PRINCIPIU ET FINISI OMNIS CONSUMATI/OMNI VIDI FINEM". No pavimento da nave da igreja existe sepultura com a seguinte inscrição:" Esta sª comsedeo O Sor do Bonfim/a Iaoa Daldia crdª par. Do Seremº/Intte Sor D. Francª e a sua Mer/Btes Mdes Tores plº servº da/sva igrª".

Utilização Inicial

Religiosa: igreja de confraria / irmandade

Utilização Actual

Religiosa: igreja de confraria / irmandade

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Portalegre - Castelo Branco)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1721 - lançamento da primeira pedra, conforme inscrição; 1774 - realização de várias obras e acrescentamentos pedra (KEIL, 1943); séc. 19 - realização de restauros (KEIL, 1943).

Dados Técnicos

Estrutura mista

Materiais

Alvenaria rebocada; granito nos emolduramentos das portas, janelas e cunhais; cobertura de telha; azulejo tradicional nos lambris, madeira dourada nos retábulos laterais, púlpitos, molduras de telas e retábulo-mor; estuque na cobertura, tijoleira, granito e mármore no pavimento.

Bibliografia

KEIL, Luís, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Portalegre, vol. 1, Lisboa, 1943; RODRIGUES, Jorge; PEREIRA, Paulo, Portalegre, 1988.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Helena Mantas e Marta Gama 2001

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login