Igreja Paroquial de Belver / Igreja de Nossa Senhora das Neves

IPA.00018840
Portugal, Bragança, Carrazeda de Ansiães, União das freguesias de Belver e Mogo de Malta
 
Arquitectura religiosa, quinhentista e maneirista. Igreja paroquial de planta longitudinal composta por nave única e capela-mor, tendo sacristia adossada à fachada lateral N., com coberturas internas diferenciadas, em falsas abóbadas de berço de madeira, pintadas e formando caixotões junto do arco triunfal. Fachada principal em empena truncada por sineiras e rasgada por portal de verga recta encimado por dupla cornija. No interior possui arco triunfal de volta perfeita, revestido a talha e integrando retábulos colaterais, maneiristas; retábulo lateral da nave, neoclássico; e retábulo-mor de transição, de planta recta e três eixos, com estrutura, tribuna e remate típicos do barroco, mas com a simplicidade dos elementos decorativos que pronuncia o estilo neoclássico.
Número IPA Antigo: PT010403030037
 
Registo visualizado 270 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

Categoria

Monumento

Descrição

Planta longitudinal composta por nave única e capela-mor ligeiramente mais estreita, a que se adossa lateralmente a N., sacristia de planta rectangular. Volumes de dominante horizontal, com coberturas em telhados de duas águas na nave e capela-mor e de uma na sacristia. Fachadas em aparelho de granito, com remates diferenciados, em empena, na fachada principal e na posterior da capela-mor; em cornija sob beiral nas fachadas laterais da nave e capela-mor; em friso e cornija na sacristia. Fachada principal orientada, encimada por plintos com esferas sob acrotérios e terminada em empena truncada por sineira de dupla ventana, em arco de volta perfeita, albergando dois sinos, assentes em impostas salientes e terminada em cornija sobrepujada por pináculos piramidais e cruz latina, sob os respectivos acrotérios. Portal de verga recta, com moldura em cantaria, encimado por cornija, e no alinhamento, um pouco mais elevado, surge outra cornija; possuindo ainda, do lado direito, um relógio circular, moldurado. Fachada lateral N. rasgada por porta de verga recta, moldurada. A fachada oposta, virada a S., é também rasgada por uma porta de verga recta e uma janela rectangular, ambas molduradas; no corpo da capela-mor surge uma janela rectangular em capialço. A fachada posterior, enquadrada por pilastras toscanas nos cunhais, coroadas por esfera sobre plintos, é cega. O corpo da sacristia apresenta na fachada O., uma janela quadrangular moldurada e gradeada; na fachada N., uma porta de verga recta, e na fachada posterior uma janela rectangular disposta horizontalmente em capialço. INTERIOR com paredes rebocadas e pintadas de branco. Nave com cobertura em falsa abóbada de berço de madeira, pintada de azul, figurando os Evangelistas e elementos decorativos vegetalistas, possui, ao centro, cartela oval com a imagem de Nossa Senhora das Dores, e junto ao arco triunfal, 12 caixotões pintados, com temática hagiográfica, representando os Apóstolos; assente em cornija de madeira, pintada a marmoreados fingidos a rosa, surgindo abaixo desta, uma cornija mais estreita em granito; e pavimento em taburnos de granito numerados. Coro alto assente em estrutura de madeira, com guarda em balaústres também de madeira, e acesso por escadaria de cantaria, adossada à parede fundeira, do lado da Epístola. Possui pavimento e escada, em madeira, de acesso à cobertura exterior. Junto à parede fundeira do lado do Evangelho, surge pia baptismal, em cantaria, de taça circular gomada, assente em pé cilíndrico. Na parede do lado do Evangelho, surge um confessionário de madeira, uma pequena pia de água benta, de granito e um púlpito de base rectangular e escada, em cantaria, adossada à parede, com guarda em balaústres de madeira. No lado da Epístola, um confessionário semelhante, uma pia de água benta, e um retábulo de talha policroma a branco e dourado dedicado a São Sebastião. Arco triunfal de volta perfeita assente em pilastras toscanas, revestido integralmente por talha policroma a branco e dourado, integrando os retábulos colaterais idênticos e destacados, de talha policroma a branco e dourado. O do lado do Evangelho dedicado ao Sagrado Coração de Jesus e o do lado da Epístola dedicado a nossa Senhora do Rosário. Possui remate composto por friso e cornija, ladeado por duas figuras vestidas de azul, centralmente é encimado por nicho de volta perfeita, pouco profundo, albergando imagem da Virgem com o Menino, sendo ladeado por outras figuras, vestidas de branco, semelhantes às anteriores. Capela-mor apresentando silhar de azulejos de padrão policromos, azuis, amarelos e brancos, com cercadura; cobertura em falsa abobada de berço pintado a azul e pavimento em madeira. Sobre supedâneo de granito, acedido por dois degraus, surge o retábulo-mor em talha policroma a branco e dourado, de planta recta e três eixos, definidos por quatro colunas e duas pilastras, com capitéis coríntios, fuste liso decorado com concheados a dourado, assentes em plintos paralelepipédicos decorados com motivos fitomórficos e concheados. No eixo central, abre-se tribuna de arco contracurvado, com fundo pintado de azul e drapeados a vermelho a abrir em boca de cena, com trono expositivo de quatro degraus e cobertura em falsa abóbada de berço pintada com o firmamento. Nos eixos laterais surgem apainelados, com o fundo pintado de azul, com mísula albergando imagem, é encimado por pequena sanefa de lambrequim decorado com concheados. No banco, decorado com painéis ornados de motivos fitomórficos e concheados, integra-se ao centro, o sacrário em forma de templete. O sotobanco é rasgado lateralmente por portas de acesso à tribuna, e, ao centro adossa-se o altar em forma de urna, com frontal decorado com motivos fitomórficos. Possui ilhargas com a mesma temática decorativa. Remate formado por friso e cornija, adaptado à cobertura, sendo decorado com elementos fitomórficos e concheados relevados, dois anjos e centralmente o Coração inflamado sob resplendor. No lado do Evangelho, porta de verga curva com moldura granítica, dá acesso à sacristia, rebocada e pintada de branco, com pavimento em lajeado de granito e tecto de madeira. Possui lavabo de cantaria, com espaldar rectangular vertical, um nicho de volta perfeita em cantaria, um arcaz de madeira, um armário de madeira embutido, uma credencia em madeira policroma.

Acessos

Rua Marechal Gomes da Costa; a partir de Carrazeda de Ansiães seguir em direcção a NE., pela EN 214, após dois km, virar à direita para Belver

Protecção

Inexistente

Grau

2 - imóvel ou conjunto com valor tipológico, estilístico ou histórico ou que se singulariza na massa edificada, cujos elementos estruturais e características de qualidade arquitectónica ou significado histórico deverão ser preservadas. Incluem-se neste grupo, com excepções, os objectos edificados classificados como Imóvel de Interesse Público.

Enquadramento

Rural, isolada, implantação harmónica no centro da povoação, junto à via principal. Possui adro envolvente, em terra batida, delimitado por muro em pedra, e no seu perímetro, um passeio em cubo granítico. Na proximidade, ergue-se a Capela de Santo Cristo (v. PT010403030038).

Descrição Complementar

TALHA: nave, do lado da Epístola, retábulo de talha policroma a branco com elementos decorativos a dourado, de planta recta e um só eixo definido por colunas com capitéis coríntios, fuste canelado a dourado, assentes em plintos paralelepipédicos decorados com elementos vegetalistas. No eixo central, abre-se tribuna de arco pleno, com nicho pintado com o firmamento, albergando imaginária sob peanha; é rematado por frontão triangular, tendo centralmente o Coração inflamado enquadrado por resplendor. Altar com frontal dividido em apainelados decorados com enrolamentos vegetalistas que enquadram as iniciais IHS, sob base pintada a marmoreados fingidos a preto. Retábulos colaterais idênticos, em talha policroma a branco com elementos decorativos a dourado, de planta recta de um só eixo enquadrado por quatro colunas com capitéis coríntios, e fuste profusamente decorado com motivos vegetalistas, querubins, putti e fénices, assentes em plintos paralelepipédicos com decoração semelhante, rematado por friso e cornija. Ao centro, apainelado rectilíneo com o fundo pintado de azul, com mísulas, albergando imagens. Banco e sotobanco com a mesma temática decorativa; altar paralelepipédico com frontal decorado com elementos fitomórficos. Possui ilhargas com a mesma temática decorativa.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Bragança - Miranda)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 (conjectural) / 17

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 16 - provável construção da igreja: séc. 17 - provável reformulação da igreja; 1706 - segundo o Padre Carvalho da Costa a paróquia é da apresentação do reitor de Ansiães; a povoação é da Comenda do Salvador e tem 50 vizinhos.

Características Particulares

Igreja de grande simplicidade que segue as características gerais da tipologia mais comum do distrito, em que a fachada termina em empena truncada por sineira. O portal apresenta uma alteração ao nível do remate, em que foi retirado dois pináculos que encimavam a cornija. Interiormente, a nave possui a cobertura pintada com a representação dos Evangelistas e, junto ao arco triunfal, em caixotões pintados com os Apóstolos, mostrando uma pintura hagiográfica de carácter regionalista.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito, molduras de vãos, frisos, cornijas, cruzes, acrotérios, pia baptismal, pias de água benta, lavabo, escadas, esferas, torre sineira e outros elementos em granito; paredes pintadas e rebocadas a branco no interior; pavimento da nave em lajes e taburnos de granito, em madeira e lajeado de granito na capela-mor, e em lajeado de granito na sacristia; azulejos nas paredes da capela-mor; portas, tectos da nave, capela-mor e sacristia, arcaz, mesa, credencia, guardas, balaústres em madeira; vidros simples; sinos em cobre; cobertura em telha.

Bibliografia

COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza..., Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1706, tomo I; Dicionário Enciclopédico das Freguesias, vol. 3, Matosinhos, 1997; www.minhaterra.com.pt, 06 Dezembro de 2007.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

*1 - deveria existir uma classificação do conjunto, incluindo a igreja e a Capela de Santo Cristo pela relação de proximidade e pelo valor histórico e local de um património edificado na mesma época.

Autor e Data

Sónia Basto 2008

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login