Igreja Paroquial de Atalaia / Igreja de Nossa Senhora da Assunção

IPA.00001966
Portugal, Santarém, Vila Nova da Barquinha, Atalaia
 
Arquitectura religiosa renascentista, maneirista, barroca. Se os elementos decorativos e estruturais evidenciam sobretudo um vocabulário renascentista, como o pórtico, com algumas incursões no maneirismo, a planimetria aponta todavia para uma provável origem gótica como parece atestar a cobertura, em abóbada de nervuras, da capela-mor, disposta em dois tramos. Fachada principal com torre ao centro, formando fachada-torre. Azulejos barrocos e púlpito seiscentista.
Número IPA Antigo: PT031420010002
 
Registo visualizado 322 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal orientada. Cobertura em telhado de 2 águas na nave central e de 1 água nas laterais, mais baixas. Fachada O. de 5 panos, definidos por cunhais e pilastras rematados de pináculos, sendo os extremos em empena curva apoiada em cunhais e nos quais se abre 1 arco de passagem de volta perfeita; nos panos médios rasgam-se a meia altura 2 janelões gradeados à face e de vergas em arco conopial; corpo central, de 4 registos, pórtico *1 com entablamento, sobre o qual assentam as ombreiras do janelão que se lhe sobrepõe, com verga coroada de tímpanos; embasamento interrompido pela escadaria em 2 lanços que dão acesso ao pórtico; os 2 últimos registos são constituídos pelo corpo rectangular da torre sineira que caía na prumada do pano central da fachada que se destaca em ressalto dos panos laterais; a nível inferior a torre é vazada a O. por 2 janelões sineiros e nas restantes faces por janelão sineiro único; cornija saliente apoiada em cachorrada assinala a transição para o último registo, vazado nas faces N. e S. de janelas em arco pleno e tendo na face O. um relógio; é rematada por cúpula e pináculos. INTERIOR: 3 naves de 5 tramos cada, sendo o 1º mais curto. Capela-mor poligonal, comunicando com a sacristia. Arcadas de volta perfeita sobre colunas de tambores, munidas de bases e capitéis jónicos. No último tramo as colunas encontram o muro E. e as jambas do arco triunfal, em arco pleno, cujos blocos, lavrados de grutescos, parecem prolongar-se ao nível dos tambores e capitéis das colunas e dos saiméis das arcadas. No topo das naves laterais, recortam-se 2 edículas de molduras rectas lavradas de colunelos. Cobertura de madeira em 3 panos nas naves laterais e central. Capela-mor poligonal de 5 faces com cobertura em abóbada de cruzaria de ogivas e de 2 tramos, com o de topo mais curto e descarregando em mísulas; os liernes, ogivas e terceletes da abóbada desenham uma cruz grega de pontas aguçadas, sendo os bocetes lavrados de rosetas e ostentando o fecho central as armas dos Cantanhede. Nos muros laterais do 1º tramo rasgam-se 2 frestas de arco pleno; no muro esquerdo, embebe-se o mausoléu do Cardeal D. José Manuel que foi 2º patriarca de Lisboa e pertencia à família dos Condes da Atalaia. Os muros das naves laterais são decorados ao nível do rodapé, por silhares de azulejo enxadrezado azuis e brancos; a estes sobrepõe-se revestimento em azulejos tipo padrão, azuis e amarelos no qual se recortam quadros em azulejo azul e amarelo figurando cenas do Novo Testamento e Santos. Painéis de azulejos semelhantes, mas figurando cenas do Antigo Testamento, decoram os panos de muro das arcadas da nave central. Sobre o arco triunfal um outro painel de azulejos azuis e amarelos figurando a Pomba do Espírito Santo.

Acessos

EN 110; Rua da Fortaleza; Rua Patriarca D. José

Protecção

MN - Monumento Nacional, Decreto n.º 11 453, DG, 1.ª série, n.º 35 de 19 fevereiro 1926 *1

Grau

1 – imóvel ou conjunto com valor excepcional, cujas características deverão ser integralmente preservadas. Incluem-se neste grupo, com excepções, os objectos edificados classificados como Monumento Nacional.

Enquadramento

Urbano. Afrontando a via pública e circundada por pequeno terreiro

Descrição Complementar

Pórtico principal em arco pleno, com o intradorso em caixotões decorados de rosetas, delimitado por pilastras e entablamento; o arco assenta em pilastras e colunelos abalaustrados, reentrantes, decorados de molduras; arquivoltas decoradas de astrágalos; nas pilastras extremas rasgam-se 2 baldaquinos com as imagens em alto relevo de São Pedro e São Paulo; sob eles lavores de urnas e nos pedestais, em baixo-relevo, 2 perfis um masculino (à esquerda) e outro feminino (à direita); entablamento com o friso lavrado de grutescos e tendo ao centro o brasão dos Cantanhede; nos extremos da arquitrave e como remate das pilastras 2 coruchéus; nas enjuntas, em molduras circulares, 2 bustos em relevo de figuras masculinas de diferentes idades. No muro do topo da capela-mor, sobre mísula, uma imagem de pedra figurando a Virgem. Adossado à 4ª coluna da nave lateral esquerda um púlpito com balaústres de madeira e base de pedra, assente numa mísula decorada em voluta. Do recheio fazem ainda parte um cálice de prata dourada do Séc. 16 e um armário de guardar os santos óleos.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

DGPC, Decreto-Lei n.º 115/2012, DR, 1.ª série, n.º 102 de 25 maio 2012

Época Construção

Séc. 16 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1528 - Provável fundação ou reedificação por D. Pedro de Menezes, Senhor de Cantanhede, cujas armas se encontram no pórtico e no fecho da abóbada da capela-mor, como assinala a data aposta no arco triunfal; Séc. 18, 2ª metade - mausoléu do cardeal D. José Manuel; 1992, 01 junho - o imóvel é afeto ao Instituto Português do Património Arquitetónico, pelo Decreto-lei 106F/92, DR, 1.ª série A, n.º 126; 2009, 24 agosto - o imóvel é afeto à Direção Regional da Cultura de Lisboa e Vale do Tejo, Portaria n.º 829/2009, DR, 2.ª série, n.º 163.

Dados Técnicos

Estrutura mista

Materiais

Cantaria, alvenaria, azulejos

Bibliografia

CÂNCIO, Francisco, Ribatejo Histórico e Monumental, 2 vols, 1938; A Igreja Matriz da Atalaia, Boletim da Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, nº 24, Lisboa, 1941; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Santarém, Vol. III, Lisboa, 1949; MOURATO, Manuel António, Memória Histórica da Notável Vila de Abrantes, Abrantes, 1981

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN / DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN / DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN / DSID

Intervenção Realizada

DGEMN: 1936 - arranjo do adro; 1937 - reconstrução dos altares laterais e altar-mor; 1938 - apeamento e reconstrução da armação do telhado; abertura do arco N. da fachada; 1939 - arranjo do adro; modificação da sacristia, com rebaixamento das paredes; demolição da parede exterior da ousia para desafrontamento de parede primitiva incluindo cintagem da abóbada com betão armado; restauro das janelas e contrafortes primitivos; lajeamento do pavimento; 1941- substituição do relógio da torre; 1955 - reparação da cobertura e arranjo dos confessionários; 1960 / 1961 - instalação eléctrica e sonora; obras de conservação na cobertura; 1969 - obras de restauro e conservação no telhado; reparação portas e caixilhos, pinturas, restauro de um troço do paramento da fachada principal e reparação dos vitrais da ousia; 1975 - conservação e reparação dos telhados; 1979 - conservação e reparação da cobertura, arranjo de portas, pinturas e substituição do troço de uma coluna; 1986 - beneficiação da cobertura.

Observações

*1 - DOF: Igreja da Atalaia, com pórtico renascença e um conjunto interno a que dão realce azulejos do princípio do séc. XVII.

Autor e Data

Rosário Gordalina 1991

Actualização

2010
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login