Edifício no Largo do Chiado, n.º 25 / Casa Havaneza

IPA.00020270
Portugal, Lisboa, Lisboa, Santa Maria Maior
 
Arquitectura residencial, pombalina e arquitectura comercial. Loja composta pela articulação de 3 espaços distintos, de planimetrias e morfologias diferenciadas, segundo uma implantação definida por 2 eixos ortogonais.
Número IPA Antigo: PT031106270627
 
Registo visualizado 122 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

Categoria

Monumento

Descrição

Planta irregular composta pela articulação de 1 corpo triangular e outro rectangular por meio de corredor, a loja localiza-se ao nível do piso térreo de um prédio de rendimento, de planta rectangular e volumetria paralelepipédica. Alçado principal a S., integralmente animado por montra em vidro e porta de acesso localizada a O.. A sala principal da loja, de planta triangular, apresenta tecto plano em madeira e paredes animadas por painéis de madeira contracurvados - cujos ângulos se destacam dado o revestimento com folha metálica dourada (latão) - que integram, nas zonas reentrantes, expositores quadrangulares de ângulos boleados e perfil também delimitado por filete metálico dourado. Complementa a decoração desta sala um painel de cantaria gravado e o preenchimento parietal da zona mais estreita da sala (extremo N.) com espelhos. Esta sala articula-se com outra de planta rectangular, por meio de amplo corredor, com um dos lados de perfil convexo. Quer o corredor quer a sala, de menores dimensões, apresentam o mesmo tipo de solução decorativa, pautando-se pelo integral revestimento a madeira vazada por expositores de diferentes dimensões, mas sempre com a mesma morfologia.

Acessos

Largo do Chiado, n.º 25

Protecção

Incluído na classificação da Lisboa Pombalina (v. IPA.00005966) / Incluído na Zona de Proteção do Aqueduto das Águas Livres (v. IPA.00006811), na Zona de Proteção do Castelo de São Jorge e restos das cercas de Lisboa (v. IPA.00003128), na Zona de Proteção da Casa do Ferreira das Tabuletas (v. IPA.00003190) e na Zona de Proteção do Edificio na Rua Garrett n 102 a 122, Café A Brasileira do Chiado (v. IPA.00005957)

Grau

3 – imóvel ou conjunto de acompanhamento que, sem possuir características individuais a assinalar, colabora na qualidade do espaço urbano ou na ligação do tempo com o lugar, devendo ser preservado em tal medida. Incluem-se neste grupo, com excepções, os objectos edificados classificados como Valor Concelhio / Imóvel de Interesse Municipal e outras classificações locais.

Enquadramento

Urbano. Incluindo a malha urbana do Chiado, em quarteirão dando para o Largo do Chiado e delimitado pela Rua Nova da Trindade e pela Rua Serpa Pinto. Contíguo à Brasileira (v. PT031106270201), em posição fronteira ao Edifício do Ramiro Leão (v. PT031106200522) e na proximidade das igrejas de Nossa Senhora da Encarnação (v. PT031106150521), de Nossa Senhora do Loreto (v. PT031106270325) e do Palácio Ferreira Pinto Basto (v. PT031106200519).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: edifício / Comercial: loja

Utilização Actual

Residencial: edifício / Comercial: loja

Propriedade

Privada: pessoa colectiva

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTOS: Alexandre Carvalho (séc. 20); António Azevedo Gomes (1960); Carlos João Chambers Ramos (1897 - 1969); Francis Jules Léon (1960); Nuno Corte Real (séc. 20). ESCULTOR: Jorge Vieira (1960).

Cronologia

1865 - fundação da Casa Havanesa, por Ernesto Empis, associado da firma Henry Burnay & Cia. (do conde de Burnay, 1838 - 1909), começando a loja por ser de uma só porta (provavelmente a que serviu ao bauleiro Joaquim Rodrigues, o antigo nº 126 da Rua Garrett), sendo alvo de sucessivas ampliações até que se consolidou numa área correspondente a 6 portas (no 24 a 29 do Largo do Chiado e n.º 2 a 8 da Rua Nova da Trindade); 1949, 12 Março - reabertura da Havanesa, após uma campanha de obras de remodelação, decorrendo uma cerimónia a que se associaram os Amigos de Lisboa; 1960, 23 Maio - reinauguração da Havanesa, após profunda campanha de remoldelação do interior, da responsabilidade dos arquitectos António Azevedo Gomes e Francis Jules Léon (integrando então 2 painéis decorativos da autoria de Bartolomeu Cid dos Santos e uma grade de bronze dourado, do escultor Jorge Vieira), sendo sensivelmente diminuida a área do estabelecimento, amputado a favor da criação de uma dependência bancária (no remanescente do piso térreo do edifício); séc. 20, década de 80 (?) - nova remodelação, a cargo dos arquitectos Nuno Corte Real e Alexandre Carvalho.

Características Particulares

A Casa Havanesa assume-se como uma das mais antigas lojas do Chiado e apresenta um conjunto decorativo interior pautado por grande coerência e integrável no tipo de intervenções características dos anos 60 dominado pelo uso de madeira, com apontamentos metálicos.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Alvenaria mista, reboco pintado, cantaria de calcário, estuque, ferro forjado, madeira, latão

Bibliografia

NORONHA, Eduardo, À Porta da Havaneza, Porto, 1911 ; NORONHA, Eduardo, À Esquina do Chiado, Porto, 1913 ; ARAÚJO, Norberto de, Peregrinações em Lisboa, Livro XII, Lisboa, s.d. ; CARVALHO, Pinto de (TINOP), Lisboa de Outrora, Lisboa, 1938 - 1939 ; SEQUEIRA, Gustavo Matos, O Carmo e a Trindade, Vol. III, Lisboa, 1941 ; Olisipo, Nº 46, 1949 ; COSTA, Mário, O Chiado Pitoresco e Elegante, Lisboa, 1965 ; MARCO, Visconde do, O Conde de Burnay, o Chiado e a Casa Havaneza, Lisboa, 1972.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID; CML

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

CML: Arquivo de Obras, Procº nº 30147 (processo de obra requisitado pela Divisão de Fiscalização da CML desde 01.04.05)

Intervenção Realizada

Observações

Antes de 1879, eram assíduos frequentadores da Casa Havanesa os mais relevantes políticos e homens de letras, entre os quais se podem referir : Teixeira de Vasconcelos, Tomás de Carvalho, Bulhão Pato, Eça de Queirós, ramalho Ortigão, Guerra Junqueiro, Guilherme de Azevedo, Casal ribeiro, Conde de Ficalho e Pinheiro Chagas

Autor e Data

Teresa Vale, Maria Ferreira e Sandra Costa 2001

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login