Pelourinho de Canas de Senhorim

IPA.00002479
Portugal, Viseu, Nelas, Canas de Senhorim
 
Arquitectura comemorativa, do séc. 20. Pelourinho de pinha piramidal, com soco quadrangular de três degraus e coluna com fuste de secção quadrangular, de ângulos chanfrados e de base quadrada. Possui capitel côncavo e remate em pináculo piramidal.
Número IPA Antigo: PT021809010002
 
Registo visualizado 203 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

Categoria

Monumento

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco de quatro degraus quadrangulares escalonados, lisos, estando os dois primeiros semi-enterrados no pavimento do lado E., vencendo o desnível do arruamento. Fuste sem base, de secção quadrada com os vértices chanfrados onde assenta directamente o capitel em gola côncava, octogonal, de rebordos inferior e superior muito salientes. Remate em pirâmide quadrangular de faces lisas, recuada relativamente ao bordo superior do capitel.

Acessos

Largo do Pelourinho, Praça da República. WGS84 (graus decimais) lat.: 40,503737; long.: -7,902932

Protecção

Inexistente

Grau

3 – imóvel ou conjunto de acompanhamento que, sem possuir características individuais a assinalar, colabora na qualidade do espaço urbano ou na ligação do tempo com o lugar, devendo ser preservado em tal medida. Incluem-se neste grupo, com excepções, os objectos edificados classificados como Valor Concelhio / Imóvel de Interesse Municipal e outras classificações locais.

Enquadramento

Urbano, em pequeno largo de forma triangular na confluência de três estradas com forte inclinação para O. Em destaque, isolado, circundado por casas de dois e três pisos com estabelecimentos comerciais. Junto ao imóvel, surgem os vestígios de uma capela de orago desconhecido, mandada erguer em 1597, por Dionísio de Figueiredo, falecido na Índia.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Comemorativa: memória de pelourinho

Utilização Actual

Comemorativa: memória de pelourinho

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

PEDREIRO: António Gonçalves Bento (1987).

Cronologia

1186 - foi desintegrada do concelho de Senhorim, sendo doada e coutada ao bispo de Viseu, D. João Pires; 1514, 30 Março - foral manuelino do Concelho de Canas de Senhorim e provável edificação do primitivo pelourinho; 1527 - o domínio da diocese de Viseu já não era efectiva e a povoação assume as regalias de concelho; séc. 18 - pertencia à comarca de Viseu, tendo juízes ordinários; 1708 - a povoação, com 230 vizinhos, é da Coroa; tem um juiz ordinário, que também exerce o cargo de juiz dos órfãos, vereadores, procurador, escrivão da câmara e um tabelião; 1758 - nas Memórias Paroquiais, assinadas por Luís Coelho do Amaral, é referida como uma povoação do rei, sendo o Cabido da Sé de Viseu donatário dos oitavos do vinho e pão, tendo 149 vizinhos; 1765 - uma Correição refere-se ao Pelourinho como local de afixação de editais; 1842 - o concelho possuía duas freguesias, a de Carvalhal Redondo e Canas de Senhorim; 1852, 09 Novembro - o Concelho de Canas de Senhorim é extinto; 1853 - o seu julgado municipal passa a integrar o concelho de Nelas; 1862, 6 Junho - o edifício da Câmara Municipal foi vendido em hasta pública e demolido; 1867 - restauração do concelho de Canas de Senhorim, sendo o pelourinho transferido para o local do novo edifício da Câmara Municipal; 1897, Fevereiro - o Pelourinho original é destruído, por estorvar o trânsito, dele restando apenas o capitel e alguns fragmentos depositados numa loja duma casa próxima (antigos Paços Municipais); 1934, 1 Novembro - ideia de construir um pelourinho; 1935 - Alberto António de Sousa Ferreira mandou reconstruir o Pelourinho, fazendo um semelhante para Nelas (v.1809030004), inspirado num fragmento então existente, com degraus e fuste oitavados, capitel de moldura pouco saliente e remate em tronco de pirâmide octogonal com um primeiro registo vertical e um segundo inclinado até ao vértice; num dos degraus possuía uma chapa metálica com inscrição: "OBRA DA DITADURA DEMOLIDO EM 1897 RESTAURADO EM 8-XII-1935"; 1984 - demolido por um veículo; 1987, 29 Janeiro - segunda reconstrução do Pelourinho (o actual), idêntico ao monumento original, por ordem da Junta de Freguesia, pelo pedreiro António Gonçalves Bento, de Travanca da Bodiosa; 1987, 2 Agosto - inauguração do pelourinho, no largo a que deu o nome; 2003, 29 setembro - Edital de encerramento da classificação do pelourinho.

Características Particulares

Pelourinho construído no séc. 20, mas formalmente idêntico ao pelourinho original.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

Canas de Senhorim - História e Património, Canas de Senhorim, 1996; COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza…, vol. II, Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1708; LOUREIRO, José Pinto, Concelho de Nelas (Subsídios para a História da Beira), Nelas, 1988; MALAFAIA, E. B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; REAL, Mário Guedes, Pelourinhos da Beira Alta, Canas de Senhorim, in Revista Beira Alta, vol. V, 1946, pp. 17-23; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Viseu, Viseu, 1998.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

Madeira Portugal 1991 / Lina Marques 1996

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login