Povoado fortificado de Cossourado / Forte da cidade

IPA.00026699
Portugal, Viana do Castelo, Paredes de Coura, União das freguesias de Cossourado e Linhares
 
Aglomerado proto-urbano. Povoado da Idade do Ferro. Povoado fortificado / castro circundado na sua totalidade por duas linhas de muralha, e, a O., onde o declive é menos acentuado, por uma terceira linha. Espólio arqueológico diversificado. Apresenta construções habitacionais invulgares, no contexto da cultura castreja, a par de estruturas de grandes dimensões.
Número IPA Antigo: PT011605040110
 
Registo visualizado 1222 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Aglomerado urbano  Povoado  Povoado da Época do Ferro  Povoado fortificado  

Descrição

Povoado com área habitacional no topo do monte, onde há uma extensa chã aplanada; o núcleo habitacional é constituído por diversas construções, umas de planta circular e outras de planta alongada, de dimensões bastante elevadas. As paredes são compostas por pedra granítica disposta de forma irregular, raramente aparelhada e sem qualquer tipo de argamassa a consolidar em pedra seca ou vã; as cabanas de planta circular apresentam um tipo de construção mais cuidado, com paramento interno e externo, as de planta alongada têm uma técnica mais arcaica e tosca. Ao centro do povoado, ergue-se um torreão construído com terra e pedra, junto do qual, a Sudoeste, existe uma estrutura de planta ovalada com um banco de pedra ao longo da face interna da parede. O habitat é circundado, na sua totalidade, por duas linhas de muralha, e, apenas a O., onde o declive é menos acentuado, por uma terceira linha. As muralhas são construídas por grandes blocos de pedra, toscamente aparelhados, nas faces interna e externa, e por terra, na parte intermédia. Possuem pequenas rampas e contrafortes, alguns com degraus, a servirem de acesso interno, com cerca de quatro metros largura. A única entrada para o povoado situa-se a Noroeste.

Acessos

Cossourado, Lugar do Forte da Cidade; Estradão empedrado a partir da Igreja Paroquial de Cossourado até ao meio do monte e, a partir deste ponto, por caminho de terra batida

Protecção

Em vias de classificação

Enquadramento

Rural, isolado, no cimo de um monte, com 375,71 metros de altitude, prolongando-se pelo topo e pelas vertentes, de encostas relativamente abruptas, principalmente a E. da elevação. O povoado domina visualmente parte das bacias hidrográficas dos rios Coura, a E. e a S, e Minho, a N. e O..

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Idade do Ferro

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável

Cronologia

Idade do Ferro - construção do povoado fortificado; 1996, 08 novembro - despacho de abertura do processo de classificação; 2012, 20 dezembro - publicação do Anúncio n.º 13781/2012, em DR, 2.º série, relativo ao arquivamento do procedimento de classificação do Povoado Fortificado de Cossourado ou Forte da Cidade; 2013, 1 novembro - publicação de anúncio n.º 364/2013, em DR., 2ª série, relativo à abertura de um novo procedimento de classsificação do povoado fortificado de Cossourado, pela Direcção Geral do Património Cultural.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes

Materiais

Granito

Bibliografia

SILVA, Maria de Fátima Matos da, SILVA, Carlos Alberto Machado Gouveia da, Projecto de valorização e divulgação do povoado fortificado de Cossourado (Paredes de Coura), www.gestioncultural.org.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN/DSID, SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Câmara Municipal de Paredes de Coura: 1993 - realização da primeira campanha de escavação arqueológica, no âmbito do projecto de investigação "Estudo, musealização e divulgação do povoamento proto-histórico e romanização da bacia superior do rio Coura"; 1994 / 1995 / 1996 / 1997 / 1998 / 1999 / 2000 / 2001 - continuação das escavações arqueológicas, tendo-se escavado, progressivamente, em pontos distintos do habitat, nomeadamente na plataforma superior, na muralha interna e numa área compreendida entre a primeira e a segunda muralhas; obras de valorização do povoado, financiado pelo FEDER, no âmbito do Sub-Programa C do PRONORTE, e pela Câmara Municipal de Paredes de Coura, incidindo o projecto em três áreas: conservação / restauro / reconstituição, sinalização / informação e divulgação do povoado; realização de um estudo do ambiente geoclimático, dos agentes erosivos e respectivas soluções de minimização de efeitos, seguido da desmatação de grande parte do plateau onde decorreram os trabalhos e remoção dos entulhos das campanhas arqueológicas efectuadas; limpeza do espaço de intervenção, dos muros e do interior das estruturas, o que implicou a escavação até ao solo de base de todas as cabanas; escavação de áreas sem construções, a desmontagem de alguns cortes estratigráficos e o nivelamento dos sectores, o qual obedeceu a um plano possível de alinhamento das superfícies de terreno, numa lógica de aproveitamento do escoamento natural das águas; a conservação, restauro e reconstituição das unidades arquitectónicas compreendeu: o estudo das estruturas; análise dos paramentos e argamassas; escolha das argamassas e aplicar no restauro; conservação e restauro das estruturas de habitação e de serviços, com alinhamento, verticalização e consolidação dos muros; conservação e restauro da muralha interna e da entrada; e reconstituição parcial de todas as estruturas que haviam sido escavadas até à data; os muros foram tratados com um hidrofugante incolor e um biocida; sistema de escoamento das águas, que incluiu um processo de drenagem para cada estrutura, e sobre uma camada de gravilha e, terra retirada aquando da escavação arqueológica; construção integral de duas construções-modelo, uma circular e uma alongada, de maiores dimensões, apenas com pedra recolhida no povoado ao longo das escavações, e cobertura em madeira; sinalização/informação do sítio arqueológico, com colocação de dois tipos de placas, umas indicativas de acesso rodoviário e 4 outras placas didáctico-explicativas, bilingues; beneficiação do caminho de acesso ao povoado, através do alargamento e pavimentação do mesmo, numa extensão de cerca de 500 metros.

Observações

*1 - Provavelmente as cabanas circulares tinham função de habitação e de realização de trabalhos domésticos e artesanais, e as restantes serviriam para actividades artesanais, guarda de instrumentos de trabalho, bens de consumo e animais. A estrutura de planta ovalada junto ao torreão terá desempenhado a função de local de reunião e de encontro comunitário. O sistema de cobertura seria bastante simples e o seu formato variava consoante a planimetria das cabanas: as de planta circular teriam uma estrutura cónica e as alongadas cobertura de duas águas, arredondada nas paredes do topo, ou apenas de uma água, inclinada, sem o auxílio de postes ou troncos de madeira. *2 - O espólio encontrado no povoado aponta para a prática de diversas actividades, nomeadamente, a exploração dos recursos naturais (recolecção, caça, pesca, extracção de pedra, desfloração e mineração) e o fabrico de vários objectos e utensílios de uso doméstico (olaria, fiação, confecção de vestuário, trabalho da pedra) e objectos de adorno. *3 - O espólio arqueológico proveniente do povoado tem vindo a ser restauro, com vista à sua exposição do Núcleo de Arqueologia do Museu Regional de Paredes de Coura.

Autor e Data

Paula Noé 2008

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login