Convento dos Lóios de Évora / Convento de São João Evangelista / Pousada dos Lóios

IPA.00002868
Portugal, Évora, Évora, União das freguesias de Évora (São Mamede, Sé, São Pedro e Santo Antão)
 
Arquitectura religiosa, gótica, manuelina, barroca. Importante exemplar da arquitectura tardo-gótica e manuelina regional, de influência mudéjar, com manifestações exuberantes em pormenores escultóricos e decorativos como os capitéis vegetalistas do ciclo manuelino - mudéjar de Évora. O entablamento do alpendre que antecede o pórtico é típico do ciclo henriquino eborense. Sofreu reformas sucessivas e a actual fachada da frontaria é o resultado de intervenção setecentista, ainda num estilo híbrido de maneirismo agonizante e neoclassicismo joanino rompente. Os pórticos principal, no mais puro estilo joanino, e da Sala do Capítulo destacando-se neste a composição de ourivesaria religiosa do ciclo flamengo - plateresco. Estabelecimento de hotelaria inserido na rede Pousadas de Portugal, integrado no grupo das Pousadas Históricas.
Número IPA Antigo: PT040705210033
 
Registo visualizado 1776 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Convento / Mosteiro  Convento masculino  Congregação dos Cónegos Seculares de São João Baptista - Frades Lóios

Descrição

Sóbrio e elegante pavilhão térreo de planta quadrangular, vira dois paramentos para o vasto largo da acrópole, um olhando a N. e outro a O.. O pórtico, de simples moldura em cantaria granítica, é antecedido de pequeno alpendre alçado por colunas dóricas, com arquitrave simples e entablamento com friso corrido de triglifos e métopas que se continua em bordadura da cimalha de todo edifício; tem cobertura piramidal de base rectangular, sobre uma cornija horizontal de profundas molduras. Os corpos nobres do edifício desenvolvem-se no sentido O.- E., da acrópole para o paramento ocidental da Cerca Velha, que será cavalgado pelos elementos limítrofes. Organizam-se, nos seus elementos essenciais, em torno do claustro quadrangular de dois andares com amplas galerias de quatro tramos ogivais, mais quatro nos ângulos das voltas; abrem-se em amplos arcos quebrados sobre fortes pilares contrafortados adornados de colunelos rematados em capitéis vegetalistas. Na galeria meridional, fronteira ao vão do segundo tramo claustral, rasga-se o monumental pórtico mainelado da Sala do Capítulo: verga de duplo ajimez, composta de dois toros sobrepostos, um liso de secção circular e outro profusamente ornamentado de entrelaços florais, descansando sobre exóticos capitéis de duas ordens sobrepostas onde relevam os ornatos e a composição da ourivesaria religiosa; finos colunelos de triplo toro retorcido assentes em altas bases sextavadas e três ordens sobrepostas com passantes nas convexidades; toda a composição é guardada e emoldurada nas ombreiras por colunas pinaculares de duas ordens, separadas por capitéis de ornato vegetal e rematadas por pináculos cónicos sobre mísulas florais; as colunas, de entrelaçado com enrolamento pergamináceo, continuam-se para realizar o arco requebrado da verga, em cujo tímpano, entre o encontro do ajimez e a lanceta da moldura, ressalta medalhão circular com símbolo heráldico *1. Galeria de acesso à Porta da Traição desenvolvendo-se em direcção ao paramento E. da Cerca Velha, que se abre em amplos vãos de arcatura perfeita, assentes em pilares de alvenaria adornados por colunelos simples. O grande dormitório desenvolve-se em duas plantas rectangulares perpendiculares, com faceira para a R. do Colégio, cavalgando a cerca romana. Constituindo corpo independente, desenvolvendo-se em planta rectangular a partir da testeira da igreja até à cerca, secante à linha axial do claustro e do templo, ficam as celas distintas dos elementos cimeiros da hierarquia conventual, incluindo a do Geral, e estabelecimentos anexos.

Acessos

Largo Conde de Vila Flor

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto n.º 8.217, DG, 1.ª série, n.º 130 de 29 de junho 1922

Enquadramento

Urbano, sobre a escarpa NO. da colina de Évora, alcantilado na cota extrema, embebido em edificações do Paço dos Duques de Cadaval (v. PT040705120081), em frente do Templo de Diana (v. PT040705120014), harmonizado com o meio.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: convento masculino

Utilização Actual

Comercial e turística: pousada

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Grupo Pestana Pousadas natur, DL 662/76, de 04 Agosto e Despacho conjunto do Ministro das Finanças e do Plano e do Comércio e do Turismo, DR nº 43, 2ª série, de 21 Fevereiro 1980

Época Construção

Séc. 15 / 16 / 18 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTO: Rui Ângelo do Couto (projecto de adaptação a pousada); DECORADOR: João Filipe Vaz Martins

Cronologia

1487 - fundação por D. Rodrigo de Melo e início da obra; 1491 - sagração do templo; 1498 - importantes obras de extensão, com ligação ao Colégio dos Meninos do Coro da Sé de Évora (v. PT040705120016); 1755 - reforma da frontaria do templo e de vários elemento do mosteiro entre os quais o dormitório; 1965, 27 Mar. - inauguração da pousada; 1976, 04 de Agosto - afectação à Enatur por DL 662/76; 1980, 21 de Fevereiro - reafectação por Despacho conjunto do Ministro das Finanças e do Plano e do Comércio e do Turismo publicado em DR nº 43, 2ª série; 2003 - na sequência da privatização da ENATUR a pousada passa a ser gerida pelo Grupo Pestana, 2011, 13 de Setembro - publicado no DR, nº 176, 2ª Série, Declaração de rectificação de anúncio n.º 281/2011, alterando o prazo para apresentação de propostas relativo ao concurso público Empreitada de Intervenção no Espaço Público da Acrópole de Évora e Área Envolvente - Acrópole XXI.

Dados Técnicos

Estruturas mistas

Materiais

Cantaria de granito, mármore branco de Estremoz em elementos secundários, alvenaria.

Bibliografia

PEREIRA, Gabriel, Loio (Antigo Mosteiro ou Casa de São João Evangelista in Estudos Eborenses, 2ª edição, Évora, 1947; SANTOS, Reynaldo, O Estilo Manuelino, Lisboa, 1952; ESPANCA, Túlio, História da Casa Cadaval, Cadernos de História de Arte Eborense, Vol. XXI, Évora, 1960; Convento dos Loios, Boletim da Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, nº119, Lisboa, 1965; CHICÓ, Mário Tavares, A Arquitectura Gótica em Portugal, Lisboa, 1981; DIAS, Pedro, A Arquitectura Manuelina, Porto, 1988; VIEIRA DA SILVA, José Custódio, O Tardo-Gótico em Portugal - A Arquitectura no Alentejo, Lisboa, 1989; DIAS, Pedro, Arquitectura Mudéjar Portuguesa: Tentativa de sistematização, Mare Liberum, nº 8, Dezembro de 1994; LOBO, Susana, Pousadas de Portugal. Reflexos da Arquitectura Portuguesa no Século XX, Coimbra, Imprensa Universitária de Coimbra, 2006.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DREMS

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DREMS

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DREMS

Intervenção Realizada

DGEMN: 1937 - adaptação para a Direcção dos Monumentos do Sul; 1944 - obras de restauro no Arquivo Distrital de Évora; 1957 - estudo de adaptação para Pousada do Convento dos Lóios;

Observações

EM ESTUDO. *1 - O medalhão no fecho do portal, tem a tranqueira alusiva à acção de D. Rodrigo de Melo, em Azamor, em 1508, podendo-se ter uma datação aproximada.

Autor e Data

Manuel Branco 1993

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login