Solar dos Costas, Lopes e Tavares / Palácio Ducal

IPA.00002987
Portugal, Guarda, Trancoso, União das freguesias de Trancoso (São Pedro e Santa Maria) e Souto Maior
 
Arquitectura residencial, tardo-barroca. Solar com dois pisos e planta em L, formando volume único dominado pela orientação horizontalista das massas e coberto com telhado de quatro águas. Fachada principal com composição regular estruturada em três panos. Corpo central rematado por frontão curvo sem base. Portal de lintel curvo encimado por janela de sacada com varanda corrida de recorte curvilíneo. Restantes vãos de lintel recto e moldura simples prolongada no peitoril. Fogaréus no coroamento das pilastras. Motivos decorativos: almofadados, folhas de acanto, volutas, rosetas, laços, concheados. Espaço interno com separação funcional entre os pisos e compartimentação organizada a partir da unidade central composta pelo átrio quadrado e pela escadaria de três lanços paralelos com arranque em arco pleno.
Número IPA Antigo: PT020913170020
 
Registo visualizado 118 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial senhorial  Casa nobre  Casa nobre  Tipo planta em L

Descrição

Construção com planta em L irregular, resultante de diversos adossamentos ao edifício principal. Forma um volume de dois pisos, tendencialmente uniforme, com disposição horizontalista das massas e coberto com telhado de quatro águas. A fachada principal, orientada a SE., muito extensa e com friso contínuo separando os registos apresenta três panos delimitados por pilastras, no eixo das quais se colocaram fogaréus. O pano central concentra três aberturas por piso. No térreo abrem-se duas janelas que enquadram o portal, de lintel curvo moldurado. Esse esquema é repetido no andar nobre onde se destaca a janela de sacada e a varanda corrida cuja base, curvilínea e decorada com almofadados e folhas de acanto, repousa sobre o portal. O pano central é rematado pelo frontão curvo, contornando a pedra de armas. Os panos laterais mostram uma composição simétrica, com três vãos por piso, estes já com o lintel recto e a moldura simples, somente prolongada junto ao peitoril. O alçado lateral NE. inclui também, num único pano, três vãos em cada piso. Enquanto isso, no lado oposto, ficando a cornija interrompida após o primeiro vão, observa-se um extenso alçado com cinco portas no térreo e nove janelas no andar, vãos sem qualquer tipo de moldura, o que acontece igualmente no alçado posterior *1. O espaço interno, e considerando apenas o edifício principal, mantém a tradicional separação de funções entre os pisos, organizando uma compartimentação em torno do átrio central, de planta quadrada, e da caixa de escadas. A escadaria possui três lanços paralelos e balaustrada de madeira, sendo o seu arranque assinalado por arco pleno, formando pequeno vestíbulo coberto com abóbada de aresta. No patamar intermédio observa-se o portal de acesso ao logradouro, encimado por medalhão oval e ladeado por dois janelões com ampla moldura curvilínea ornamentada por laços pendentes. No andar nobre a frente da casa é ocupada pelos salões, ainda com os tectos de masseira. Conserva também a lareira em cantaria na cozinha *2.

Acessos

Largo Eduardo Cabral

Protecção

Inexistente

Grau

2 - imóvel ou conjunto com valor tipológico, estilístico ou histórico ou que se singulariza na massa edificada, cujos elementos estruturais e características de qualidade arquitectónica ou significado histórico deverão ser preservadas. Incluem-se neste grupo, com excepções, os objectos edificados classificados como Imóvel de Interesse Público.

Enquadramento

Urbano, intra-muros. Implanta-se em terreno aplanado, ocupando parcela que absorve grande parte do quarteirão confinante com a R. dos Cavaleiros. A frontaria posiciona-se quase no eixo da via que conduz às Portas do Prado (v. PT020913170002). Domina o espaço ajardinado do antigo Terreiro das Freiras, que comunica com a chamada Avenida. Ao lado ergue-se a Igreja de Santa Maria (v. PT020913170016). Em frente observa-se a casa onde funcionou o quartel - general de Beresford (v. PT020913170024), bem como outra grande casa brasonada. Inclui logradouro com poço e algumas construções anexas, observáveis a partir da viela lateral.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa nobre

Utilização Actual

Residencial: casa / Comercial: loja

Propriedade

Privada: pessoa singular *3

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18 ( conjectural )

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

Séc. 18, 2ª metade - hipotética construção da casa, talvez promovida por Jacinto Lopes da Costa Tavares, Governador das Armas da Beira e filho primogénito de Baltazar Lopes Tavares, fidalgo da Casa Real e militar que se instalou em Trancoso após a perda de Tânger ( CORREIA, 1992 ); 1821 - requerimento à câmara de António da Costa Coutinho Lopes Tavares e Ornelas, proprietário destas "casas nobres" ( e militar que se distinguiu na resistência aos invasores franceses ), pedindo autorização para fechar a estreita viela lateral ( deferido ); 1855 - à filha deste último, Maria do Carmo da Costa Macedo e Ornelas de Sequeira Reimão, foi concedido o título de viscondessa de Trancoso; 1870 / 1896 - conflitos judiciais entre os seus herdeiros, destacando-se o segundo visconde, Bartolomeu da Costa Macedo Giraldes Barba de Meneses, oltimo fidalgo nascido neste solar e que casou em Madrid com Maria Cristina Gorowska y Bourbon, Duquesa de Pozen e filha de Wenceslau Gorowsky, herdeiro do trono da Polónia; este casamento e o coronel de nobreza que remata o brasão de armas ( confundido com coroa ducal ), originou a designação incorrecta de "palácio ducal"; séc. 20 - funcionamento de escola e estação dos correios, obrigando a algumas obras de adaptação.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Granito, cantaria e alvenaria rebocada; madeira; ferro; telha de canudo.

Bibliografia

Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, Lisboa, s.d., vol. 32, pp. 461-481; TEIXEIRA, Irene Avilez, Trancoso, Terra de Sonho e Maravilha, Trancoso, 1982; CORREIA, Joaquim Manuel Lopes, Trancoso (Notas para uma Monografia), 2ª ed., Trancoso, 1989; Plano de Salvaguarda do Centro Histórico de Trancoso - Gabinete Técnico Local, Trancoso, 1991; CORREIA, Joaquim Manuel Lopes, Em Torno de um Túmulo, in O Bandarra, Trancoso, 1992, pp. 65 -70; FIGUEIREDO, Jorge de, Trancoso - 10 anos de cultura (1986-1996), Trancoso, 1997.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID; Câmara Municipal de Trancoso

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSARH

Intervenção Realizada

Observações

*1 - neste momento não é possível observar a totalidade dos alçados virados para o logradouro devido à presença de anexos recentes e da vegetação. *2 - numa das lojas térreas conserva-se uma arca tumular, em granito, mostrando três escudos com cinco estrelas de seis raios postas em sautor; estas armas são atribuíveis aos Tavares, sendo de colocar a hipótese de se tratar do túmulo de um dos ascendentes de Baltazar Lopes. *3 - a Câmara Municipal de Trancoso encontra-se em negociações com vista à aquisição, total ou parcial, do imóvel. *4 - o edifício encontra-se parcialmente ocupado, pois algumas lojas ( café, sapataria ) e parte do segundo piso ( dois fogos ) ainda se encontram alugados; a esse facto se deve, em parte, as omissões no levantamento gráfico, pois alguns inquilinos recusaram-se a colaborar. *5 - sobretudo no que respeita ao logradouro e zonas anexas à viela.

Autor e Data

Margarida Tavares 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login