Vila Algarve / Sede da PIDE-DGS em Lourenço Marques

IPA.00031730
Moçambique, Cidade Maputo, Maputo (M), Maputo (M)
 
Arquitectura residencial unifamiliar, do séc. 20. Moradia de 2 pisos, eclética, de planta irregular e simétrica, apresentando painéis de azulejos naturalistas de início do século XX com temáica alusiva a gentes e costumes algarvios.
Número IPA Antigo: MZ910201000050
 
Registo visualizado 307 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial unifamiliar  Casa  Moradia / Vivenda  

Descrição

Planta irregular, simétrica, desenvolvendo-se em dois pisos com a zona de gaveto (O.) recuada em relação ao flancos voltados a NO. e SO., que são delimitados por uma cimalha com balaustrada, que encima todo o resto do edifício. No piso térreo, a zona de gaveto é integralmente ocupada por um longo alpendre com cobertura de telhado de uma água que se repete nos dois pisos sobre todas as portas. No piso superior, os rasgamentos dispõem-se de forma simétrica, com as portas (que apresentam bandeira envidraçada semi-circular) a serem marcados por três pequenos varandins, um no eixo de simetria e um em cada flancos avançado, sendo entre si separados por três janelas de dois batentes.Nos dois pisos da fachada, destaca-se a presença de um conjunto significativo de painéis de azulejos naturalistas (azuis e brancos com molduras em tons amarelados) do primeiro terço do século XX, com temática alusiva a gentes e costumes algarvios ("Farol do Cabo de São Vicente", "Pesca do Atum", "Olhão - Revolta contra ocupação francesa"), encontrando-se os de maior dimensão na zona alpendrada e pequenos medalhões no piso superior, bem como estreitos frisos verticais, pontuando as extremidades de algumas das faces do edifício.

Acessos

Avenida dos Mártires de Machava, Avenida Ahmed Sekou Touré

Protecção

Enquadramento

Urbano, isolado, insere-se num terreno de gaveto formado pelas Avenidas dos Mártires de Machava e Ahmed Sekou Touré, na zona residencial da Polana.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa

Utilização Actual

Devoluto

Propriedade

Afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1934 - conclusão das obras; 2008 - a Ordem dos Advogados moçambicana anuncia planos para o restauro e transformação do edifício na sua própria sede; 2011, Fevereiro - é anunciado que a Vila Algarve acolherá o futuro Museu da Luta de Libertação; o edifício faz parte de uma lista de 200 imóveis ("Catálogo dos Edifícios e Espaços Urbanos Propostos para a Classificação") de Maputo que a Faculdade de Arquitectura e Planeamento Físico da Universidade Eduardo Mondlane irá propôr a classificação.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

http://www.maputo.co.mz/por/content/pdf/48415 (consultado a 14/07/2011)

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1950 - obras de ampliação.

Observações

EM ESTUDO. O poeta moçambicano José Craveirinha (1922-2003) menciona a Vila Algarve e as suas experiências enquanto nela detido em alguns dos seus poemas - "Não sei se é uma medalha" (1967), "Vila Algarve (1ª versão)" (1988) e "Vila Algarve (2ª versão)" (1998).

Autor e Data

Tiago Lourenço 2011 (projecto FCT PTDC/AURAQI/104964/2008 "Gabinetes Coloniais de Urbanização: Cultura e Prática Arquitectónica")

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login