Palácio Bramão / Palácio Seia / Palácio Rebelo de Andrade / Universidade Aberta

IPA.00003176
Portugal, Lisboa, Lisboa, Santo António
 
Arquitectura residencial, pombalina.
Número IPA Antigo: PT031106460082
 
Registo visualizado 123 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

Categoria

Monumento

Descrição

Dotado de planta em U, de que resulta uma volumetria constituída por paralelipípedos cobertos por telhado a 2 águas articulado nos ângulos e rasgado por trapeiras, o palácio apresenta 3 andares no alçado principal N. e 4 no alçado lateral e no posterior. A fachada principal, delimitada por pilastra e cunhal de cantaria, apresenta no piso térreo, ladeando o portal, 10 janelas de peito rectangulares. No andar nobre outras 10 janelas, estas de sacada encimadas por ática e com grades de ferro forjado, ladeiam o janelão central com emolduramento de cantaria. O último andar, separado dos restantes por cornija, conta 11 janelas de peito com avental de cantaria, ostentando a central emolduramento calcário. O edifício termina-se por platibanda. O alçado lateral O. continua a organização da fachada N. tendo como alterações o surgimento de vãos de um novo piso térreo, guarnecido por soco de placagem de pedra, e um andar intermédio acima do piso nobre cuja iluminação é feita por óculos rematados por falsos frontões. A organização dos espaços interiores do palácio faz-se a partir de uma escadaria central. INTERIOR: destacam-se 5 salas do piso nobre, decoradas com azulejos da Fábrica do Rato e tectos de estuque levemente relevado e pintado de feição rococó e de temática alegórica.

Acessos

Rua da Escola Politécnica, n.º 139 a 155; Travessa do Arco a São Mamede, n.º 48 - 56

Protecção

IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 516/71, DG, 1.ª série, n.º 274 de 22 novembro 1971 / ZEP, Portaria n.º 398/2010, DR, 2.º série, n.º 112 de 11 junho 2010 *1 / Incluído na Zona de Proteção do Aqueduto das Águas Livres (v. IPA.00006811), na Zona de Proteção do Edifício da Imprensa Nacional (v. IPA.00019891) e na Zona Especial de Proteção conjunta aos imóveis classificados da Avenida da Liberdade e área envolvente

Grau

2 - imóvel ou conjunto com valor tipológico, estilístico ou histórico ou que se singulariza na massa edificada, cujos elementos estruturais e características de qualidade arquitectónica ou significado histórico deverão ser preservadas. Incluem-se neste grupo, com excepções, os objectos edificados classificados como Imóvel de Interesse Público.

Enquadramento

Urbano, destacado, adossado, implantado em terreno desnivelado.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: palácio

Utilização Actual

Educativa: universidade

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Ministério da Educação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1760 - construção de palácio a São Mamede por António Rebelo de Andrade, burguês endinheirado da capital; 1840 - obras de ampliação levadas a cabo pelo então proprietário, D. António Manuel de Meneses (1788 - 1848), 1º conde de Seia, que havia herdado o palácio do seu sogro, comerciante no Rio de Janeiro; 1910 - o palácio passa para a posse da família Bramão; c. 1950 - era pertença de D. Vasco Bramão; 1977 - passa para a posse da Imprensa nacional - Casa da Moeda; 1983 - afectação ao Instituto Português de Ensino à Distância para instalação da Universidade Aberta; 1996, 01 outubro - o edifício integra a Zona Especial de Proteção Conjunta da Avenida da Liberdade e edifícios classificados na zona envolvente, pela Portaria n.º 529/96, DR, 1.ª série-B, n.º 228; 2005, 22 setembro - proposta de definição de Zona Especial de Proteção pela DRCLVTejo; 2009, 11 novembro - Despacho de homologação da Ministra da Cultura a fixar a Zona Especial de Proteção; 2011, 20 maio - Declaração de retificação ao teor do diploma de fixação da Zona Especial de Proteção, n.º 874/2011, DR, 2.ª Série, n.º 98.

Características Particulares

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Alvenaria mista, cantaria de calcário, reboco pintado, ferro forjado, azulejos, estuque pintado

Bibliografia

FRANÇA, José-Augusto, Lisboa Pombalina e o Iluminismo, Lisboa, s.d.; ALMEIDA, D. Fernando de, (coord. de), Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa, Lisboa - Tomo II, Lisboa, 1975; BORGES, Nelson Correia, Do Barroco ao Rococó, in AA VV, História da Arte em Portugal, Vol. 9, Lisboa, 1986; CÂMARA, Alexandra, O Palácio Ceia na Sétima Colina, Lisboa, 1994

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

CML: Arquivo de Obras, Pº Nº 16.889

Intervenção Realizada

1993 - pintura das fachadas, limpeza das cantarias e instalação de iluminação exterior

Observações

*1 - Ediício na Rua da Escola Politécnica, 147, em Lisboa, conhecido pelas designações de Palácio Bramão ou Palácio Ceia. Zona Especial de Proteção Conjunta do Bairro Alto e edifícios classificados na zona envolvente.

Autor e Data

Teresa Vale e Carlos Gomes 1994

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login