Ponte Romana de Alferrarede (Entre Ribeiras) / Ponte dos Mouros / Ponte do Olho de Boi

IPA.00003387
Portugal, Santarém, Abrantes, União das freguesias de Abrantes (São Vicente e São João) e Alferrarede
 
Arquitectura de comunicações e transportes, romana e quinhentista. Ponte-represa, de origem presumivelmente romana, construída em alvenaria e cantaria rusticada, lançada sobre o curso da ribeira de Alferrarede, estabelecendo a comunicação entre as margens e criando paralelamente reservatórios de água para irrigação. Estruturalmente semelhante à represa do Gavião; analogias com as barragens de Madrid e Ontígala, mandadas construir por Filipe II.
Número IPA Antigo: PT031401060012
 
Registo visualizado 829 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Hidráulica de contenção  Ponte-comporta    

Descrição

Dupla muralha paralela de grande espessura, com enchimento de aterro intermédio, lançada no sentido E. / O. sobre a ribeira de Alferrarede e assente em afloramentos rochosos existentes nas duas margens - 55m. de comprimento, 10m. de altura máxima, 8,5m. de espessura; o escoamento faz-se por abertura inferior quadrada, junto ao talvegue. O tabuleiro é delimitado do lado N. por muro espesso, com c. de 2,5m. por 0,50m. de altura, por murete delgado, com c. de 0,30m., do lado S.. A jusante, na margem direita, apoiando-se no paramento, um moinho inicialmente com dois rodízios. Muros exteriores possivelmente dotados de contrafortes ou de muros de contravento, no interior.

Acessos

EN 244-3. Pela Estrada que liga Alferrarede ao Sardoal, a seguir à povoação de Olho de Boi, numa estrada à direita e depois por caminho pedonal à esquerda; através da Quinta do Bom Sucesso, em Alferrarede

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 129/77, DR, 1.ª série, n.º 226 de 29 setembro 1977 / ZEP, Portaria n.º 263/96, DR, 2.ª série, n.º 272 de 23 novembro 1996

Enquadramento

Rural, planície, isolada. Situada em terrenos agrícolas da Quinta do Bom Sucesso, sobre a ribeira de Alferrarede, num local conhecido como Entre Ribeiras; está rodeada por azinheiras e canaviais; nas imediações existem alguns edifícios fabris.

Descrição Complementar

O aproveitamento do curso da água e da represa para construção de estruturas moageiras. "Esta estrada antiga e ponte-represa teriam tido continuação na estrada ou via principal que atravessava o rio Tejo em Abrantes, no local onde ainda se encontram alguns pegões daquela que se pensa ter sido a antiga ponte romana de Abrantes." (in RIBEIRO: 1998: 159).

Utilização Inicial

Hidráulica: ponte-comporta

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 01 / 04 / 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTOS: Juan Bautista Antonelli (séc. 16); Leonardo Turriano (séc. 16).

Cronologia

Séc. 01 - 04 - data presumível de construção (Oleiro, 1959; Sequeira, 1949); séc. 16, último terço - Filipe II terá mandado construir a represa, aproveitando estruturas romanas aí existentes, com a intervenção, segundo alguns autores (Quintela e outros, 1986, p. 112, 119) de Juan Bautista Antonelli e Leonardo Turriano.

Dados Técnicos

Estrutura autoportante.

Materiais

Pedra xistosa e calcária, disposta de forma irregular, argamassa.

Bibliografia

SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Santarém, vol. III, Lisboa, 1949; OLEIRO, Diogo, Abrantes cidade florida, Abrantes, 1952; Abrantes - Pontes e Vias Romanas in Vida Ribatejana, 1959; ALMEIDA, José António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1980; QUINTELA, António de Carvalho, CARDOSO, João Luís, MASCARENHAS, José Manuel, Aproveitamentos Hisdráulicos romanos a Sul do Tejo - contribuição para uma inventariação e caracterização, Lisboa, 1986; PEREIRA, Filipe Nortadas, Alferrarede - Património imobiliário público e privado, in Jornal de Abrantes, Abrantes, 7 Setembro 1994; PINTO, Paulo Mendes, (Dir.), Pontes Romanas de Portugal, Associação Juventude e Património, Lisboa, 1998; RIBEIRO, Aníbal Soares, Pontes Antigas Classificadas, MEPAT- JAE, 1998; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/69748 [consultado em 08 julho 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Rosário Gordalina 1991 / Isabel Mendonça 1995

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login