Tanques Escavados nos Rochedos da Praia de Angeiras

IPA.00003907
Portugal, Porto, Matosinhos, União das freguesias de Perafita, Lavra e Santa Cruz do Bispo
 
Cetárias romanas, com tanques de formato rectangular e trapezoidal. Estruturas de salga cavados no afloramento; estrutura salineira com piso de seixos.
Número IPA Antigo: PT011308030005
 
Registo visualizado 1175 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Extração, produção e transformação  Fábrica    

Descrição

Seis conjuntos de tanques, com um total de 32 exemplares, de formato rectangular e trapezoidal escavados no afloramento que se distribuem ao longo de c. de 600 m em rochedos da Praia de Angeiras. A intervenção arqueológica de 1983 revelou uma estrutura salineira constituída por um piso de 20 x 9 m construídos com seixos assente num suporte de barro amassado delimitado por um murete constituído por lajes graníticas, sendo o intervalo destas preenchido com seixos e barro, havendo em alguns pontos do murete um rodapé formado também por seixos. Esta estrutura localiza-se a c. de 35 m para E. do conjunto de tanques mais a S.

Acessos

Lavra, Praia de Angeiras, Avenida da Praia

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto nº 251/70, DG, 1ª série, n.º 129 de 03 junho 1970 *1

Enquadramento

Rural, na periferia de Angeiras, na orla marítima e, actualmente, sob o areal da praia.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Extração, produção e transformação: fábrica

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: Estatal

Afectação

Ministério do Ambiente e Recursos Naturais

Época Construção

Época romana

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

Séc. 03 - 04 - provável construção.

Dados Técnicos

Tanques cavados no afloramento de formato rectangular e trapezoidal, apresentando a parede inclinação para o interior; seixos imbricados, lajes do muro assentes em vala aberta no solo base; muro calafetado por um rodapé de seixos e barro.

Materiais

Tanques em granito; pavimento em seixos com suporte de barro; muro em lajes graníticas

Bibliografia

RAMOS, António Francisco, Lavra, Apontamentos para a sua monografia, Porto, 1943, p. 22 - 24; BRANDÃO, Domingos de Pinho e LANHAS, Fernando, Inventário de objectos e lugares com interesse arqueológico, Revista de Etnografia, 12 (2), Porto, 1969, p. 318 - 325; ALMEIDA, Carlos A. Ferreira de, Romanização das terras da Maia, Maia, 1969, p. 38 - 39; SILVA, Fernando Augusto e FIGUEIRAL, Isabel, Escavações arqueológicas em Lavra: As salinas romano-medievais de Angeiras, Boletim da Biblioteca Municipal de Matosinhos, 30, Matosinhos, 1986, p. 165 - 181; CLETO, Joel, Sob as areias de Angeiras, Lavra: As raízes da indústria conserveira, Matosinhos - Revista Municipal, 6, Matosinhos, 1994, p. 32 - 40; CLETO, Joel, A indústria de Conserva de Peixe no Portugal Romano. O caso de Angeiras (Matosinhos, Porto), Matusinus. Revista de Arqueologia Matosinhense, 1, Matosinhos, 1994.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1969 - Levantamento topográfico; 1983 - escavação arqueológica sob orientação de Isabel Figueiral e Fernando Augusto Silva; 1991 - escavação arqueológica sob orientação de Joel Cleto; 1992 - escavação arqueológica sob orientação de Joel Cleto.

Observações

Nas proximidades, no local da Bouça da Tapada foi, em tempos, destruídos outro conjunto de tanques de formato quadrangular, dispostos em fiadas paralelas, construídos em barro, com o fundo em seixos e separados por faixas de seixos. Aquando da construção de algumas casas na Praia de Angeiras, nas proximidades das cetárias, apareceram vestígios de construções com pavimento de barro, tendo ficado destruídas por aquelas. Próximo das cetárias, a S., localiza-se a villa romana de Fontão. *1 DOF: Conjunto de tanques cavados nos rochedos da Praia de Angeiras.

Autor e Data

Isabel Sereno / Paulo Amaral 1994

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login