Ponte de Assureira / Ponte de São Brás

IPA.00004140
Portugal, Viana do Castelo, Melgaço, União das freguesias de Castro Laboreiro e Lamas de Mouro
 
Ponte construída na época medieval, de tipo arco, substituíndo uma outra anterior romana, de que reaproveitou materiais. Apresenta tabuleiro em cavalete suave, sobre um único arco, de volta perfeita, precedido por rampas de acesso, possuindo na face virada a nascente o arco de aduelas regulares e almofadadas, enquanto a face virada a poente tem aduelas irregulares. Também o pavimento é desigual, possui a metade nascente formada por grandes lajes, enquanto a outra metade é formada por lajes pequenas, possuiindo de ambos os lados guardas plenas em cantaria.
Número IPA Antigo: PT011603020022
 
Registo visualizado 779 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Transportes  Ponte / Viaduto  Ponte pedonal / rodoviária  Tipo arco

Descrição

Ponte de tabuleiro em cavalete suave, no sentido norte - sul, precedido por rampas de acesso, com estrutura de aparelho pouco cuidado e irregularmente talhado. Assenta sobre arco de volta perfeita, de aduelas desiguais, as da face virada a este constituídas de uma só pedra e almofadadas, segundo o padre Aníbal Rodrigues, e as da face oeste constituída por várias pedras e irregulares, tendo no intradorso orifícios para encaixe do cimbre. O pavimento é formado por grandes lajes, do lado nascente, e por pequenas lajes na metade poente, protegido por guardas, de pedra, irregulares.

Acessos

Castro Laboreiro, Lugar da Assureira, CM 1160. WGS84 (graus decimais) lat.: 42,003763; long.: -8,165613

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 26-A/92, DR, 1.ª série-B, n.º 126 de 01 junho 1992 *1 / Incluído no Parque Nacional da Peneda do Gerês

Enquadramento

Rural, isolado, implantação harmónica no Parque Natural da Peneda do Gerês, a cerca de 160 m da inverneira da Assureira. Ergue-se junto à estrada, sobre o ribeiro do Barreiro, afluente do rio Laboreiro, envolvido por arbustos. A estrutura assenta sobre os afloramentos rochosos e junto à ponte ergue-se um moinho e um pontão recente e, a cerca de 20 m, a Capela de São Brás (IPA.00035569). É enquadrado por terrenos de cultivo.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Transportes: ponte

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Época Romana / Época Medieval (conjetural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Época Romana - época provável da construção de uma primeira ponte; Época Medieval - provável reforma ou ampliação da ponte, com reutilização de materiais e alargamento do tabuleiro; 1758, 11 maio - referência à ponte no lugar de São Brás, em cantaria, pelo padre Inácio Ribeiro Marques nas Memórias Paroquiais da freguesia.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em alvenaria de granito; arcos em cantaria de granito.

Bibliografia

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de - Alto Minho. Lisboa: 1987; ARAÚJO, José Rosa de - Caminhos velhos e Pontes de Viana e Ponte de Lima. Viana do Castelo: 1962; «Assureira» (http://arqueologia.patrimoniocultural.pt/?sid=sitios.resultados&subsid=54535), [consultado em 14 setembro 2015]; CAPELA, José Viriato - As freguesias do distrito de Viana do Castelo nas Memórias Paroquiais de 1758. Braga: Casa Museu de Monção; Universidade do Minho, 2005; FONTES, Luís - Ponte de Assureira ou Ponte da Capela (http://www.geira.pt/arqueo/html/sitio80.html), [consultado em 09 setembro 2014]; RIBEIRO, Aníbal Soares - Pontes Antigas Classificadas. Porto: Ministério do Equipamento, do Planeamento e da Administração do Território; Junta Autónoma das Estradas, 1998; RODRIGUES, Aníbal - Pontes Romanas e Românicas de Castro Laboreiro, Melgaço: Câmara Municipal de Melgaço, 1985; S.A. - "Seis Pontes Classificadas em Castro Laboreiro". O Diário. Lisboa: 04 maio 1987.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGEMN:DSID, SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1993, depois - demolição do edifício em betão construído junto à ponte e ao moinho.

Observações

*1 - A ponte da Assureira foi classificada conjuntamente com o moinho e a capela de São Brás. *2 - Assureira é uma das muitas inverneiras da região, locais relativamente abrigados e a mais baixa altitude ("em torno dos 700-800 metros"), onde as populações passavam os Invernos, de acordo com a habitação sazonal que caracterizava esta zona (LIMA, 1996, p. 11).

Autor e Data

Paula Noé 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login