Casa na Avenida 5 de Outubro, n.º 36 - 40

IPA.00004709
Portugal, Lisboa, Lisboa, Avenidas Novas
 
Arquitetura residencial, ecléctica. Casa cuja fachada principal é tratada simétricamente com um sabor neoclassico, dado sobretudo na ornamentação e nas balaustradas.
Número IPA Antigo: PT031106230183
 
Registo visualizado 92 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

Categoria

Monumento

Descrição

Planta rectangular. Edifício composto por cave, 2 pisos e sotão. Volume simples e cobertura em telhado de 4 águas. Fachadas divididas em 2 andares por cornijas arquitravadas remetidas em ático continuado, sendo a principal tratada de forma simétrica, maior carga decorativa, tanto no piso inferior enquadrado por pilares contrapartidos almofadados como no superior flanqueado por duplas pilastras. Fenestração : Na fachada principal rasga-se um portal de arco pleno sobrejugado por um balcão em ressalto para onde abre uma janela em ressalto, flanqueados, respectivamente por janelas de jeito de 3 lumes e janelas de sacada guarnecidas; nas ilhargas janelas de 1 lume e 3 águas.

Acessos

Avenida 5 de Outubro, n.º 36 - 40; Avenida Duque de Ávila, n.º 48 - 50

Protecção

IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 2/96, DR, 1.ª série-B, n.º 56 de 06 março 1996

Grau

2 - imóvel ou conjunto com valor tipológico, estilístico ou histórico ou que se singulariza na massa edificada, cujos elementos estruturais e características de qualidade arquitectónica ou significado histórico deverão ser preservadas. Incluem-se neste grupo, com excepções, os objectos edificados classificados como Imóvel de Interesse Público.

Enquadramento

Urbano, adossado. implantado numa área urbana consolidada, morfologicamente plana, numa malha ortogonal. Na envolvência encontram-se edifícios de características idênticas funcionando a Avenida Cinco de Outubro e Avenida Duque de Ávila como elemento estruturante em termos de ordenamento da rede viária.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: caa

Utilização Actual

Residencial: edifício / Comercial: escritórios

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

Séc. 20 - construção do edifício; 1976 - instalação no local da Provedoria da Justiça; 1992 - transferência da Provedoria da Justiça para um novo edifício na Lapa; 1999 / 2000 - ampliação de um edifício no jardim, pela DGEMN; séc. 21 - transformado em edifício residencial; 2014, 02 maio - publicação do Anúncio da abertura do procedimento de desclassificação do edifício, em Anúncio n.º 103/2014, DR, 2.ª série, n.º 84.

Características Particulares

Diferença do tratamento das fachadas, concentrando-se na fachada principal, em detrimento da fachada S.. A central tem verga decorada com grinaldas. Este piso tem cunhais em cantaria, sendo a última pedra decorada com volutas. Uma moldura em quarto de círculo côncavo separa o 1º piso do 2º piso. Neste, uma espécie de platibanda de módulos maciços vazados por balaustrada, corre toda a fachada. Esta é composta por varanda central em balaustrada suportada por mísulas (a central parte da aduela do fecho da porta do 1º. piso), porta de vão rectangular encimada por frontão triangular. 2 pilastras fecham este conjunto que é ladeado por 4 janelas geminadas com guardas de balaustrada, inscrita em arco pleno com aduela no fecho. Neste piso, os cunhais são substituídos por 2 pilastras geminadas que juntamente com as do alçado central suportam entablamento com cornija, coroado por platibanda. A fachada S., de tratamento mais sóbrio, é dividida em 3 por 4 pilastras simples, sendo cada pano rasgado por 2 janelas, em cada piso, de vão rectangular com pedra de peito e moldura em cantaria na verga e 1/3 do pé direito. Os pisos são separados por uma moldura idêntica à fachada principal. Um telhado de 4 águas cobre o edifício. Este, é rasgdo por várias trapeiras e várias chaminés.

Dados Técnicos

Sistemas estruturais - paredes autoportantes.

Materiais

Alvenaria, cantaria rebocada e pintada, ferro, vidro, madeira, telha.

Bibliografia

Monumentos, n.º 11, n.º 12 e n.º 14, n.º 15-16 Lisboa, DGEMN, 1999-2002.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGPC; CMLisboa: Processo de obras nº. 6740, Direcção dos Serviços Centrais e Culturais, 5ª. Repartição (Arquivo de Obras).

Intervenção Realizada

1923 - construção de uma garagem e vedação do terreno; 1940 - arranjos interiores; 1943 - pinturas nos estores, grades e portões; 1944 - alterações na cave; 1945 - ampliação da marquise; 1958 - obras de beneficiação e limpeza gerais; 1965 - obras de revestimento a mármore; 1975 - obras diversas; 1982 - obras interiores e exteriores; DGEMN: 2001 / 2002 - beneficiação da cobertura; 2002 - reparação de paredes e tectos interiores; adaptação da copa a sala de reuniões.

Observações

Autor e Data

João Silva 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login