Padrão Comemorativo da Batalha do Salado / Padrão de Nossa Senhora da Vitória

IPA.00000764
Portugal, Braga, Guimarães, União das freguesias de Oliveira, São Paio e São Sebastião
 
Arquitectura comemorativa, gótica. Cruzeiro de sucesso histórico gótico, com composição escultórico nos dois lados, e com alpendre de planta quadrada, abobadado. Riqueza decorativa do cruzeiro e do próprio alpendre.
Número IPA Antigo: PT010308340025
 
Registo visualizado 2271 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Comemorativo  Cruzeiro comemorativo    

Descrição

Alpendre de planta quadrangular aberto, constituído por 4 arcos quebrados lavrados, assentes em colunas com capitéis lavrados, encimados pelo escudo Real. Os arcos, sobrepujados por empena, limitam uma cobertura em abóbada de granito. Abriga um cruzeiro assente num soco circular de dois degraus. O cruzeiro policromado representa Cristo Crucificado de um lado e a Virgem Mãe sob baldaquino do outro. Num plano inferior no fuste da Cruz: 4 esculturas, representando São Vicente Apóstolo, São Filipe Mártir, São Torcato e o Anjo da Guarda.

Acessos

Largo da Oliveira.

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto n.º 37 366, DG, 1.ª série, n.º 70 de 05 Abril 1949 / ZEP, DG, 2.ª série, n.º 94 de 19 abril 1956 *1 / Incluído na Zona Especial de Proteção do Núcleo Urbano da Cidade de Guimarães (v. PT010308340101)

Enquadramento

Urbano, isolado. Implantação harmónica no conjunto urbano. Situa-se no centro histórico, fronteiro à Igreja de Nossa Senhora de Oliveira (v. PT010308340007).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Comemorativa: cruzeiro comemorativo

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: Estatal

Afectação

Época Construção

Séc. 14

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1340 - Batalha do Salado; D. Afonso IV manda edificar padrão para comemorar essa vitória; 1342 - A cruz gótica é oferecida pelo comerciante vimaranense Pedro Esteves; 1473 - o padrão estava arrendado a Martim Anes; 1577, 20 Outubro - na Visitação, o Arcebispo de Braga determina que se reparasse o padrão de Nossa Senhora, "que não chova nele e fique seguro"; época posterior - no arco do fundo do alpendre fez-se um altar envidraçado com a imagem de Nossa Senhora da Vitória *2; séc. 20 - antes das obras de restauro efectuadas na Igreja de Nossa Senhora da Oliveira, o alpendre era fechado por gradeamento com portão de ferro *3.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma.

Materiais

Alpendre: alvenaria de granito. Cruzeiro: Calcário dourado policromado. Cobertura: granito.

Bibliografia

DGEMN, Igreja de Nossa Senhora da Oliveira. Guimarães, Boletim nº 128, Lisboa, 1981; DIAS, Pedro, A Introdução das primeiras formas góticas in História da Arte em Portugal, vol. 4, Lisboa, 1986, p. 8 - 63; ALMEIDA, José António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1988; AZEVEDO, José Correia de, Inventário Artístico Ilustrado de Portugal, Minho, Lisboa, 1991; FONTE, Barroso da, Guimarães - Roteiro Turístico, Guimarães, 1991; IPPAR, Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado, vol. I, Lisboa, 1993; PASSOS, José Manuel Silva, Zonas Especiais de Protecção, Lisboa, 1993.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

DGEMN: 1974 - Conclusão da conservação e consolidação.

Observações

*1 - Trata-se de uma Zona Especial de Proteção Conjunta da Colegiada de Guimarães (v. PT010308340007), da Padrão comemorativo da Batalha do Salado (v. PT010308340025) e dos Paços Municipais de Guimarães (v. PT010308340014). *2 - Em comemoração da batalha de Aljubarrota, a 14 de Agosto de cada ano, Câmara e Cabido saíam em procissão, celebrando-se, ao recolher, uma missa no padrão, expondo-se ao público, num dos arcos, o chamado "pelote de D. João I". Era por isso chamada de missa do Pelote. *3 - Inicialmente, possuía um coruchéu piramidal sobre a abóbada.

Autor e Data

Isabel Sereno 1993

Actualização

Paula Noé 1998
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login