Forte de São Fernando / Forte de São Lázaro de Santa Cruz

IPA.00008084
Portugal, Ilha da Madeira (Madeira), Santa Cruz, Santa Cruz
 
Arquitectura militar, neoclássica. Antiga vigia reconstruída como pequeno forte de defesa marítima para duas bocas de fogo, de planta triangular irregular, com o lado de terra ocupado pelas instalações do paiol, casa da guarda e do comandante e o lado virado ao mar com a parada, arredondado.
Número IPA Antigo: PT062209050021
 
Registo visualizado 92 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

Categoria

Monumento

Descrição

Planta triangular irregular, com as muralhas viradas a E. e a O. de dois panos e o vértice S., arredondado, em alvenaria de cantaria semi-aparelhada, somente rebocada no parapeito e sem canhoneiras. Parada calcetada a calhau rolado e o arredondado lajeado e parcialmente cimentado, sobre o antigo lajeado, possuindo pau da bandeira junto ao arredondado. Pequena construção semi-enterrada na parada, a E. e construção intermédia recente e improvisada, para canil, a meio da parada com cobertura zincada. Edifício do antigo paiol, casa da guarda, do condestável e de entrada a fecharem o conjunto a N., elevado sobre a parada, com fachada virada a S. e ao mar de 2 janelas e 2 portas, e uma outra janela na fachada O., com molduras de cantaria pintadas a cinza; tapa-sóis fasquiados em madeira pintados a verde escuro e cobertura de uma água. Acesso a N. por porta com moldura de cantaria pintada a cinza, junto à rampa de acesso, ladeada por lápide do "Património do Estado" e encimado por placa da "Guarda Fiscal".

Acessos

Sítio de S. Fernando

Protecção

Grau

2 - imóvel ou conjunto com valor tipológico, estilístico ou histórico ou que se singulariza na massa edificada, cujos elementos estruturais e características de qualidade arquitectónica ou significado histórico deverão ser preservadas. Incluem-se neste grupo, com excepções, os objectos edificados classificados como Imóvel de Interesse Público.

Enquadramento

Peri-urbano, na orla marítima e destacado sobre a praia da cidade sobre pequeno promontório, perfurado por túnel, isolado por muralha em todo o perímetro, mas com construções adossadas a N. de acesso junto à estrada; rampa a O. de acesso, articulando-se para S. com uma palmeira, que nasce na base da muralha.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Militar: forte para defesa da costa

Utilização Actual

Administrativa: posto da Guarda Fiscal / apoio ao aeroporto

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Guarda Fscal

Época Construção

Sécs. 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Capitão engenheiro Paulo Dias de Almeida.

Cronologia

Séc. 18, meados - construção de um reduto fortificado com base numa das antigas vigias da vila; 1799 - referência de Inácio Joaquim de Castro de que se encontrava em ruínas; 1820 - reconstrução por Paulo Dias de Almeida; 1841 - descrição e desenho da fortificação por António Pedro de Azevedo; 1865 - descrição no "Tombo Militar" e desenho por António Pedro de Azevedo; 1893 - arrendamento a Manuel de Olival por 200$000 réis; 1898 - renovação de arrendamento ao mesmo; c. 1940 - entrega à Guarda Fiscal.

Características Particulares

Pequeno forte muito bem situado sobre a praia de Santa Cruz, de linhas gerais dos inícios do séc. 19, e de planimetria pouco comum, em triângulo irregular com ângulo virado ao mar arredondado, este último referido na planta de 1820 como sendo "obra nova".

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Cantaria mole e rígida regional aparente, alvenaria de cantaria e cimento rebocada, ferro, vidro, madeira, telha marselha e zinco.

Bibliografia

CARITA, Rui, As defesas de Santa Cruz, Atlântico, nº 8, Funchal, 1986, pp. 280 a 287; idem, As defesas de Santa Cruz, Diário de Notícias, Funchal, 17 Dez. 1989; idem, Arquitectura Militar na Madeira, Sécs. XVI a XIX, 2º vol., 1993; idem, História da Madeira, 4º vol., Funchal, 1996.

Documentação Gráfica

1799 - "Plano da Villa de Santa Cruz...", Inácio Joaquim de Castro, Centro de Estudos de Cartografia Antiga, Lisboa; 1820 - "Planta da costa desde o Caniço the a Villa de Sta. Cruz..., 1820" por Paulo Dias de Almeida, AHM, Lisboa; 1841 - "Fortes de Santa Cruz", in "Reconhecimento Militar da Ilha da Madeira" de António Pedro de Azevedo, "Estampa nº 2", GEAEM, Lisboa; 1845 - "Plano de reconhecimento das muralhas das freguesias... Villa de Sta. Cruz...", major José Júlio Guerra, GEAEM e AH Ministério das Obras Públicas, Lisboa; 1860 - "Planta da Villa de Sta Cruz e dos fortes da Graça e de S. Fernando", tenente coronel António Pedro de Azevedo, GEAEM, Lisboa

Documentação Fotográfica

Museu Vicentes Photographos; antiga Junta Geral; DRAC, Funchal

Documentação Administrativa

ARM; CM Santa Cruz; GEAEM, Lisboa

Intervenção Realizada

Guarda Fiscal: 1998 - construção do telheiro intermédio sobre a parada coberto a zinco.

Observações

A denominação de São Fernando indica uma antiga capela existente na área, que deu nome ao sítio e que em 1820 já não existia. Por outro lado, nessa data, a casa da guarda encostava-se a uma outra antiga capela, também já não existente, dedicada a São Lázaro.

Autor e Data

Rui Carita 2000

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login