Fonte de Nossa Senhora do Monte

IPA.00009645
Portugal, Ilha da Madeira (Madeira), Funchal, Monte
 
Arquitectura civil de equipamento, neoclássica. Fontanário tipo relicário neoclássico, encostado a estrutura mural, formando templete de planta quadrada, com domo sobre colunas e bica singela na parede posterior, totalmente construído em mármore continental.
Número IPA Antigo: PT062203020122
 
Registo visualizado 72 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Hidráulica de elevação, extração e distribuição  Chafariz / Fonte  Chafariz / Fonte  Tipo nicho

Descrição

Templete de mármore, de planta quadrada, com massa simples de volume vertical coroada por domo de perfil abatido, decorado com almofadas, rematado por florão e pinha. Apoia-se frontalmente, a O., em par de colunas assentes em plintos quadrados e bases oitavadas, encontrando-se a de S. assinada: "António M. ( oreira ) Rato & F ( ilh ) os. 298 - Rua 24 de Julho - 314, Lisboa", com fuste estriado e capitéis compósitos, e posteriormente em meias colunas idênticas, interligadas por parede, suportando arquitrave decorada com 7 flores circulares por face e cornija onde assenta a cobertura; pavimento lajeado igualmente a mármore, com bacia baixa de planta quadrangular apoiada na parede de fundo, encimada por bica e nicho envidraçado e emoldurado por arco de volta perfeita, e pequena cruz, albergando imagem de Nossa Senhora do Monte. A bica é enquadrado por 2 pedestais constituídos por meias colunas jónicas assentes em plintos quadrados.

Acessos

Pq. Leite Monteiro

Protecção

Inexistente

Grau

2 - imóvel ou conjunto com valor tipológico, estilístico ou histórico ou que se singulariza na massa edificada, cujos elementos estruturais e características de qualidade arquitectónica ou significado histórico deverão ser preservadas. Incluem-se neste grupo, com excepções, os objectos edificados classificados como Imóvel de Interesse Público.

Enquadramento

Periurbano, implantado no Parque do Monte, densamente arborizado e adossada aos arrifes da Igreja do Monte (v. PT062203020042), confrontando a S. com entrada do Caminho das Babosas e a escultura de homenagem aos carreiros do Monte, para NO. com o busto do Padre José Marques Jardim e para O. com o coreto do Monte.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Hidráulica: chafariz

Utilização Actual

Hidráulica: chafariz

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Engenheiro e mestre das obras reais João António Vila Vicêncio (1778); Manoel Ferreira Júnior ( empreiteiro, 1897 ); António Moreira Rato & Filhos, Lisboa (execução); escultores Anjos Teixeira (busto, 1985) e Ricardo Velosa (baixo relevo dos carreiros, 1992).

Cronologia

Sécs. 16 / 17 - referência à existência de uma fonte na área, de que ficou um capitel de gosto manuelino; 1770 - compra por Francisco Theodor da propriedade do Monte que pertencera à capela do Socorro do colégio dos jesuítas, "constando de castanheiros e arqueiros, árvores de fruto"; 1773 - compra pelo cônsul Carlos Murray, através do seu procurador Thomas Logman das propriedade no Monte que pertenceram aos jesuítas; 1777 - reconstrução da fonte do Largo do Monte e construção de uma nova junto às escadas da igreja do Monte, pelo proprietário da quinta cônsul Carlos Murray, com a "condução de água de uma para a outra por um aqueduto limpo e perdurável"; 1783 - pedido de obras na ribeira das Cales ao governador D. Diogo Forjaz Coutinho, dada a captação ser feita por um "aqueduto ou cales de madeira, que por não vedar, se perde grande porção da mesma água e a restante caminha por uma levada de terra que a embebe e onde se perde por minadouro", propondo-se construir um "forte e perdurável aqueduto de pedra e cal à sua custa", obra de que foi supervisor o mestre das obras reais João António Vila Vicêncio e inspector José Agostinho da Costa; 1784, Jun. - inícios das obras do novo aqueduto; 22 Nov. - vistoria e conclusão das obras da levada das Cales; 1896, finais - temporal no Monte que fez cair um castanheiro destruindo a primitiva fonte; 1897, 12 Ago. - sessão camarária em que "foi arrematada ... com todas as formalidades legaes e sendo precedido os competentes annuncios, a empreitada das obras do assentamento da Fonte de Nossa Senhora, no Parque Leite Monteiro, na freguesia ( do Monte ) sendo a mesma fonte fornecida pela Câmara; foi arrematador e empreiteiro Manoel Ferreira Júnior, casado, pedreiro, morador à Quinta do Acciaioly, freguesia de Santa Maria Maior que offereceu o menor lanço de 99$900 réis, inferior em cem réis à base da licitação que era de 100:000$000 réis"; 1985, 28 Out. - inauguração do busto do padre José marques Jardim ( 1915 - 1960 ), "caixeiro Viajante da Virgem"; 4 Nov. - desacato no Largo da Fonte sendo despedaçada a imagem da Virgem e derrubado o busto do Padre Jardim; 1992, 14 Ago. - inauguração do monumento de homenagem aos carreiros do Monte.

Dados Técnicos

Estrutura mista.

Materiais

Mármore branco.

Bibliografia

RIDDELL, Maria, Voyages to the Madeira and Leeward Caribbean Isles, Edimburgo, 1792; CANE, Ellen e Florence du, The Flowers and Gardens of Madeira, Londres, 1909; SILVA, Padre Fernando Augusto da, Elucidário Madeirense, 3 vols., Funchal, 1945; PIO, Manuel Ferreira, O Monte; santuário votivo da Madeira ( resenha histórica ), Funchal, 1978, reed. 1992; No largo da Fonte (Monte). Imagem de Nossa Senhora despedaçada em acto tresloucado, Diário de Notícias, Funchal, 5 Nov. 1985; RIBEIRO, João Adriano, Monte, breve resenha histórica da freguesia..., Funchal, 1991; MARTINS, Rosário, Monumento no Largo da Fonte. Jardim foi ao Monte louvar os carreiros, Diário de Notícias, Funchal, 15 Ago. 1992; AFONSO, José, Funchal, 1996; VERÍSSIMO, Nelson e SAINZ-TRUEVA, José Manuel de, Inventário das Esculturas da Região Autónoma da Madeira, Funchal, 1996, pp. 55, 134, 281 e 282.

Documentação Gráfica

GR / Equipamento Social; DRAC, Funchal

Documentação Fotográfica

Museus das Cruzes (col. Genieve Smith); Vicentes Photographos; DRAC, Funchal

Documentação Administrativa

ARM: CMF, RN e GC; CMF: inventário de fontanários, carta de património

Intervenção Realizada

Observações

A existência de um capitel de gosto manuelino, proveniente da antiga fonte, assim como o desenho aguarelado de Genieve Smith, que mostra parcialmente no interior o arranque de uma nervura sobre mísula gótica, indicia que nos finais do Séc. 18 a mesma não foi construída pelo cônsul britânico, mas sim reconstruída, ou melhorada, devendo a fonte original datar do séc. 16. As fotografias dos inícios do século 20 apresentam o nicho da imagem assente em pequeno parapeito, onde eram colocadas flores, não existindo os plintos, onde hoje são colocadas. Por outro lado, a CMF deve ter adquirido por esta altura vários destes plintos à mesma empresa, ainda existente na Av. 24 de Julho, alguns dos quais ainda hoje utilizados como pequenos fontanários na Avenida Arriaga e no Jardim Municipal.

Autor e Data

Rui Carita 2001

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login