Fonte de Nossa Senhora do Monte

IPA.00009645
Portugal, Ilha da Madeira (Madeira), Funchal, Monte
 
Arquitectura civil de equipamento, neoclássica. Fontanário tipo relicário neoclássico, encostado a estrutura mural, formando templete de planta quadrada, com domo sobre colunas e bica singela na parede posterior, totalmente construído em mármore continental.
Número IPA Antigo: PT062203020122
 
Registo visualizado 46 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

Categoria

Monumento

Descrição

Templete de mármore, de planta quadrada, com massa simples de volume vertical coroada por domo de perfil abatido, decorado com almofadas, rematado por florão e pinha. Apoia-se frontalmente, a O., em par de colunas assentes em plintos quadrados e bases oitavadas, encontrando-se a de S. assinada: "António M. ( oreira ) Rato & F ( ilh ) os. 298 - Rua 24 de Julho - 314, Lisboa", com fuste estriado e capitéis compósitos, e posteriormente em meias colunas idênticas, interligadas por parede, suportando arquitrave decorada com 7 flores circulares por face e cornija onde assenta a cobertura; pavimento lajeado igualmente a mármore, com bacia baixa de planta quadrangular apoiada na parede de fundo, encimada por bica e nicho envidraçado e emoldurado por arco de volta perfeita, e pequena cruz, albergando imagem de Nossa Senhora do Monte. A bica é enquadrado por 2 pedestais constituídos por meias colunas jónicas assentes em plintos quadrados.

Acessos

Pq. Leite Monteiro

Protecção

Inexistente

Grau

2 - imóvel ou conjunto com valor tipológico, estilístico ou histórico ou que se singulariza na massa edificada, cujos elementos estruturais e características de qualidade arquitectónica ou significado histórico deverão ser preservadas. Incluem-se neste grupo, com excepções, os objectos edificados classificados como Imóvel de Interesse Público.

Enquadramento

Periurbano, implantado no Parque do Monte, densamente arborizado e adossada aos arrifes da Igreja do Monte (v. PT062203020042), confrontando a S. com entrada do Caminho das Babosas e a escultura de homenagem aos carreiros do Monte, para NO. com o busto do Padre José Marques Jardim e para O. com o coreto do Monte.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Equipamento: fonte para abastecimento de água

Utilização Actual

Marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Engenheiro e mestre das obras reais João António Vila Vicêncio (1778); Manoel Ferreira Júnior ( empreiteiro, 1897 ); António Moreira Rato & Filhos, Lisboa (execução); escultores Anjos Teixeira (busto, 1985) e Ricardo Velosa (baixo relevo dos carreiros, 1992).

Cronologia

Sécs. 16 / 17 - referência à existência de uma fonte na área, de que ficou um capitel de gosto manuelino; 1770 - compra por Francisco Theodor da propriedade do Monte que pertencera à capela do Socorro do colégio dos jesuítas, "constando de castanheiros e arqueiros, árvores de fruto"; 1773 - compra pelo cônsul Carlos Murray, através do seu procurador Thomas Logman das propriedade no Monte que pertenceram aos jesuítas; 1777 - reconstrução da fonte do Largo do Monte e construção de uma nova junto às escadas da igreja do Monte, pelo proprietário da quinta cônsul Carlos Murray, com a "condução de água de uma para a outra por um aqueduto limpo e perdurável"; 1783 - pedido de obras na ribeira das Cales ao governador D. Diogo Forjaz Coutinho, dada a captação ser feita por um "aqueduto ou cales de madeira, que por não vedar, se perde grande porção da mesma água e a restante caminha por uma levada de terra que a embebe e onde se perde por minadouro", propondo-se construir um "forte e perdurável aqueduto de pedra e cal à sua custa", obra de que foi supervisor o mestre das obras reais João António Vila Vicêncio e inspector José Agostinho da Costa; 1784, Jun. - inícios das obras do novo aqueduto; 22 Nov. - vistoria e conclusão das obras da levada das Cales; 1896, finais - temporal no Monte que fez cair um castanheiro destruindo a primitiva fonte; 1897, 12 Ago. - sessão camarária em que "foi arrematada ... com todas as formalidades legaes e sendo precedido os competentes annuncios, a empreitada das obras do assentamento da Fonte de Nossa Senhora, no Parque Leite Monteiro, na freguesia ( do Monte ) sendo a mesma fonte fornecida pela Câmara; foi arrematador e empreiteiro Manoel Ferreira Júnior, casado, pedreiro, morador à Quinta do Acciaioly, freguesia de Santa Maria Maior que offereceu o menor lanço de 99$900 réis, inferior em cem réis à base da licitação que era de 100:000$000 réis"; 1985, 28 Out. - inauguração do busto do padre José marques Jardim ( 1915 - 1960 ), "caixeiro Viajante da Virgem"; 4 Nov. - desacato no Largo da Fonte sendo despedaçada a imagem da Virgem e derrubado o busto do Padre Jardim; 1992, 14 Ago. - inauguração do monumento de homenagem aos carreiros do Monte.

Características Particulares

Fontanário em templete fechado posteriormente por parede, com aparelho demarcado, e onde se integra pequeno nicho encimando bica, coberto por domo decorado por almofadas relevadas sobre colunas e meias colunas estriadas e de capitel compósito. Destaca-se no seu enquadramento romântico, um amplo parque arborizado, rodeado por coreto e esculturas.

Dados Técnicos

Estrutura mista.

Materiais

Mármore branco.

Bibliografia

RIDDELL, Maria, Voyages to the Madeira and Leeward Caribbean Isles, Edimburgo, 1792; CANE, Ellen e Florence du, The Flowers and Gardens of Madeira, Londres, 1909; SILVA, Padre Fernando Augusto da, Elucidário Madeirense, 3 vols., Funchal, 1945; PIO, Manuel Ferreira, O Monte; santuário votivo da Madeira ( resenha histórica ), Funchal, 1978, reed. 1992; No largo da Fonte (Monte). Imagem de Nossa Senhora despedaçada em acto tresloucado, Diário de Notícias, Funchal, 5 Nov. 1985; RIBEIRO, João Adriano, Monte, breve resenha histórica da freguesia..., Funchal, 1991; MARTINS, Rosário, Monumento no Largo da Fonte. Jardim foi ao Monte louvar os carreiros, Diário de Notícias, Funchal, 15 Ago. 1992; AFONSO, José, Funchal, 1996; VERÍSSIMO, Nelson e SAINZ-TRUEVA, José Manuel de, Inventário das Esculturas da Região Autónoma da Madeira, Funchal, 1996, pp. 55, 134, 281 e 282.

Documentação Gráfica

GR / Equipamento Social; DRAC, Funchal

Documentação Fotográfica

Museus das Cruzes (col. Genieve Smith); Vicentes Photographos; DRAC, Funchal

Documentação Administrativa

ARM: CMF, RN e GC; CMF: inventário de fontanários, carta de património

Intervenção Realizada

Observações

A existência de um capitel de gosto manuelino, proveniente da antiga fonte, assim como o desenho aguarelado de Genieve Smith, que mostra parcialmente no interior o arranque de uma nervura sobre mísula gótica, indicia que nos finais do Séc. 18 a mesma não foi construída pelo cônsul britânico, mas sim reconstruída, ou melhorada, devendo a fonte original datar do séc. 16. As fotografias dos inícios do século 20 apresentam o nicho da imagem assente em pequeno parapeito, onde eram colocadas flores, não existindo os plintos, onde hoje são colocadas. Por outro lado, a CMF deve ter adquirido por esta altura vários destes plintos à mesma empresa, ainda existente na Av. 24 de Julho, alguns dos quais ainda hoje utilizados como pequenos fontanários na Avenida Arriaga e no Jardim Municipal.

Autor e Data

Rui Carita 2001

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login