Escola primária de Tunes

IPA.00017051
Portugal, Faro, Silves, União das freguesias de Algoz e Tunes
 
Arquitectura educativa, modernista. Escola primária construída durante a vigência do Estado-Novo, de planta longitudinal regular, que alia a arquitectura modernista (visível, por exemplo na importância das superfícies de vidro dispostas rectangularmente em molduras de cantaria que acentuam as linhas rectas do conjunto) a um certo gosto tradicionalista entendido como característica da arquitectura nacional ( edifício de piso térreo, completamente caiado, com beiral acentuado ) e não dispensando os símbolos do poder estado-novistas (o escudo da República a coroar a fachada principal e o letreiro identificativo da funcionalidade do imóvel). Arcos aviajados que suportam o alpendre, colocados de forma oblíqua em relação aos alçados, representam uma tipologia comum em edifícios semelhantes.
Número IPA Antigo: PT050813080046
 
Registo visualizado 107 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

Categoria

Monumento

Descrição

Planta longitudinal regular. Massa simples disposta horizontalmente, com cobertura em telhado a quatro águas, sobre o núcleo principal do edifício, e a uma água sobre o alpendre da fachada posterior. Fachada principal composta por três panos, sendo o central o único que se organiza a dois registos, com embasamento homogéneo de cantaria a toda a volta do edifício; primeiro registo composto por portal de acesso ao interior, de volta perfeita com dupla moldura de cantaria em toda a sua extensão, antecedido por dois degraus; segundo registo rompe em altura a horizontalidade da fachada, compondo-se por um frontão festonado, enquadrando ao centro o escudo da República Portuguesa e o letreiro "ESCOLA PRIMÁRIA"; escudo sobrepujado por candeeiro; frontão festonado delimitado superiormente por dupla linha de beiral, comum a todo o edifício; panos laterais simétricos, organizados a um só registo, contêm três janelas rectangulares dispostas horizontalmente, integradas numa moldura de cantaria contínua, sobrepujadas por arco de volta perfeita em cada janela, de cor amarela, e já fora da moldura rectangular; duplo beiral suporta a linha de telhado. Fachadas laterais N. e S. organizadas a um só registo de dois panos; pano E., que corresponde ao interior do edifício, sem elementos decorativos, vãos ou separação em registos, ostentando o duplo beiral no prolongamento natural dos elementos de suporte ao telhado da fachada principal; pano O. corresponde a um espaço alpendrado adossado ao longo de toda a fachada O., compõe-se de amplo arco aviajado, com curvatura a E. até praticamente ao nível do solo, funcionando como arcobotante, que suporta o telhado; supressão do duplo beiral, descarregando o telhado directamente na parede. Fachada posterior virada a O. compõe-se de uma sucessão de arcos, definidos pelo espaço intercolúnio dos arcos aviajados que suportam o telhado do alpendre, em número de oito e de secção rectangular, implantados em posição ligeiramente oblíqua em relação à linha de telhado; alçado O. do edifício, recuado em relação ao alpendre, compõe-se de uma massa pétrea sem elementos divisores, ostentando apenas uma porta de arco recto, aberta ao centro do alçado, que comunica com o alpendre. Quatro chaminés colocadas nos extremos do edifício, de secção circular, com abertura superior rendilhada, terminando em pináculo, sendo as duas sobre o alçado O. as de maior dimensão.

Acessos

Tunes, do lado N. da via férrea

Protecção

Inexistente

Grau

3 – imóvel ou conjunto de acompanhamento que, sem possuir características individuais a assinalar, colabora na qualidade do espaço urbano ou na ligação do tempo com o lugar, devendo ser preservado em tal medida. Incluem-se neste grupo, com excepções, os objectos edificados classificados como Valor Concelhio / Imóvel de Interesse Municipal e outras classificações locais.

Enquadramento

Urbano, planície, isolado. Imóvel implantado no centro da vila de Tunes, numa das vias fundamentais que ligam a zona mais alta, onde se ergue a igreja da localidade e a linha férrea, dispondo-se perpendicularmente a esta. Rodeado por um terreno rectangular regular, servindo de recreio, e delimitado em toda a sua extensão por um muro caiado complementado superiormente por rede. Fachada principal virada a E., dando para a via que se dirige à linha férrea, com casario homogéneo maioritariamente de dois pisos. Fachada lateral N. vira-se para um muro mais elevado, sintoma do ligeiro declive N. - S. de toda a área envolvente à escola, desde o pequeno planalto onde se ergue a igreja até à zona de planície onde se rasgou a linha férrea. Fachada lateral S. com amplo recreio, separa-se das restantes propriedades a S. através de uma pequena azinhaga, delimitada por muro, sem construções do lado S., dispondo-se aí um quintal. Fachada posterior, virada a O., é a que apresenta maior espaço descoberto, dando para uma via de vivendas e habitações de piso único. No amplo espaço de recreio existe uma palmeira, no extremo SE. e dois pinheiros a ladear o espaço entre o portão principal da propriedade e o portal de acesso à escola, ambos dispostos em relação axial entre si.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Educativa: escola primária

Utilização Actual

Educativa: escola

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1947 - construção da escola; 2001, 19 de Outubro - abertura de concurso público para trabalhos de construção geral de edifícios a desenvolver no Restauro, preservação e ampliação da Escola Primária de Tunes; 2002, 25 Fevereiro - concurso público para restauro, preservação e ampliação do imóvel, sendo adjudicante a CMS, publicado em DR, 3º Série, nº 47; 2002, 2º semestre - início das obras.

Características Particulares

Testemunho da rede de escolas primárias construídas em todo o país durante o Estado-Novo, sintoma da escolaridade mínima obrigatória com que se pretendeu dotar toda a população, no combate contra o analfabetismo nas décadas centrais do século 20. Edifício urbanisticamente importante na vila de Tunes, construído numa zona de expansão da localidade ao longo de todo o século 20, entre a linha férrea e a capela, numa zona de eixos viários rectilíneos e desenvolvidos perpendicularmente em relação ao caminho de ferro. Edifício arquitectonicamente conotado com a racionalização modernista do Estado-Novo, privilegiando a simetria dos alçados com as imagens de poder tutelares dos conjuntos edificados, com um interior funcional e um exterior desafogado, com diversos espaços de lazer, englobando espaços descobertos e cobertos.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Alvenaria rebocada e caiada; madeira; vidro; cantaria; tijoleira; telha

Bibliografia

DOMINGUES, José Domigos Garcia, Silves. Guia turístico da cidade e do concelho (1988), 2ªed., Silves, Câmara Municipal de Silves, 2001; "Escolas primárias de São Marcos da Serra e Tunes vão ser restauradas", Região Sul, 13/2/2002.

Documentação Gráfica

CMS

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN / DSID

Documentação Administrativa

CMS

Intervenção Realizada

CMT: 2002 - 2003 - Obras de restauro, preservação e ampliação do edifício (acrescento de corpo novo adossado à fachada lateral N. da escola; substituição de elementos anteriores em avançado estado de degradação, caso de parte dos pavimentos e outros materiais de sanitários, etc. Novo edifício terá dois pisos, ao contrário do imóvel original, o que romperá com a horizontalidade que caracteriza agora o conjunto. Obra orçada em 224.980,94 €)

Observações

Autor e Data

Paulo Fernandes 2002

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login