Inventários Temáticos

Pesquisa Avançada

Lista de Inventários Temáticos

Arquitectura da Água: o Aqueduto das Águas Livres de Lisboa

Portugal. Área Metropolitana de Lisboa
 

O inventário temático “A Arquitectura da Água: Aqueduto das Águas Livres de Lisboa” tem como objectivo registar informação relativa aos vários troços do Aqueduto das Águas Livres, uma das mais notáveis obras da engenharia hidráulica portuguesa, bem como dos elementos a ele associados, nomeadamente os chafarizes.

Este projecto foi desenvolvido no início do ano de 2010 e desenrolou-se no âmbito da intervenção de reabilitação do Bairro das Mães de Água realizada pelo Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU). Este conjunto habitacional encontra-se integrado na Zona Especial de Protecção do Aqueduto das Francesas, um dos subsidiários do Aqueduto principal de Lisboa.

Arquitectura da Água: o Aqueduto das Águas Livres de Lisboa

Casas Religiosas de Clarissas na Cidade de Lisboa

Cidade de Lisboa
 

No âmbito do estudo das Casas Religiosas de Lisboa, um projeto SIPA que tem como principal objetivo identificar e mapear a evolução dos imóveis que tiveram grande impacto na estruturação e no crescimento da cidade, nascerão vários subprodutos que visam o conhecimento da tipologia arquitetónica destes edifícios a partir da norma construtiva de cada uma das ordens religiosas. O primeiro destes subprodutos, agora publicado, analisa os mosteiros femininos da Ordem de Santa Clara, a mais representativa na cidade. Este estudo teve por base cartografia e bibliografia variadas, tomando como fonte principal a documentação produzida na sequência da extinção das ordens religiosas em Portugal, em 1834. Contudo, não se encontra esgotado em termos de informação, subsistindo um enorme leque de fundos documentais ainda por desbravar e que virá colmatar, certamente, algumas dúvidas que subsistem relativas à vivência das religiosas e à localização das dependências monacais.

Casas Religiosas de Clarissas na Cidade de Lisboa

Grupos Escolares construídos ao abrigo do Plano dos Centenários em Lisboa — 1944-1961

Cidade de Lisboa
 

O presente inventário temático surge no decurso do trabalho habitual de atualização dos registos de inventário do património arquitetónico existentes na base de dados do SIPA, nomeadamente nos imóveis construídos na tipologia “educativo” (entenda-se, edifícios construídos para o ensino) no concelho de Lisboa. Nesse âmbito, verificou-se a existência de imóveis com características perfeitamente enquadráveis nos cânones do Movimento Moderno, edificados pela autarquia lisboeta ao abrigo do programa de subsídios estatais atribuídos pelo Ministério das Obras Públicas para a construção de uma rede escolar, comummente conhecido por Plano dos Centenários. Coexistem assim, na cidade de Lisboa, erguidos numa mesma época e ao abrigo do mesmo programa construtivo, dois “géneros” de edifícios, com feições externas bastante diversas (por vezes mesmo na sua adaptação ao terreno), consoante resultem de promoção estatal ou camarária, embora sempre assentes numa mesma planta funcional.

Neste inventário ocupar-nos-emos apenas dos imóveis de promoção autárquica, por serem aqueles que mais se distanciam das características habituais traçadas para o Plano. Para a sua elaboração foi, assim, fundamental a consulta das peças documentais existentes no Arquivo Municipal de Lisboa[1] (que incluem fotografias da construção e da inauguração destes grupos escolares), assim como a leitura cuidada dos Anais do Município de Lisboa[2] e de alguns números da Revista Municipal, para além, claro, de outra bibliografia[3] nacional existente sobre o assunto. A pesquisa documental foi complementada por visitas de reconhecimento e levantamentos fotográficos aos imóveis objeto do presente estudo[4].



[1] Cuja base de dados de descrição documental, e alguns documentos, estão disponíveis on-line.

[2] Consultáveis a partir da Hemeroteca Digital da Câmara Municipal de Lisboa, também on-line.

[3] Cuja lista se anexa.

[4] Não foram visitadas/fotografadas as escolas básicas Querubim Lapa (Campolide) e Professor Agostinho da Silva (Vale Fundão/Poço do Bispo), por se encontrarem em obras aquando da elaboração deste inventário.

Grupos Escolares construídos ao abrigo do Plano dos Centenários em Lisboa — 1944-1961

Inventário temático dos faróis

Portugal continental, Arquipélago dos Açores e Arquipélago da Madeira
 

O Farol, equipamento de gestão de tráfego marítimo através de uma luz de sinalização, surge em várias formas de acordo com a época de construção, a sua localização e o tipo de material utilizado na sua construção.

Através da análise da tipologia da torre dos faróis surgem quatro grupos tipológicos principais:

Tipo 1 - Farol de torre prismática com edifício(s) anexo(s) – 25 faróis

Tipo 2 - Farol de torre circular com edifício(s) anexo(s) – 16 faróis

Tipo 3 - Farol localizado em fortaleza – 10 faróis

Tipo 4 - Farol com torre cilíndrica “tourelle” – 7 faróis

Inventário temático dos faróis
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login